Info

Hong Kong: Pequim diz que democracia não é desculpa para "comportamentos ilegais"

| Mundo
Fonte: Agência Lusa

Pequim, 15 out (Lusa) -- A democracia deve basear-se no Estado de Direito e não pode ser desculpa para "comportamentos ilegais", lê-se hoje num comentário publicado no Diário do Povo, jornal do órgão central do Partido Comunista chinês, em referência aos protestos em Hong Kong.

O comentário assinala o firme apoio de Pequim ao Governo de Hong Kong e ao seu chefe do Executivo, CY Leung, reiterando que os protestos "estão condenados ao fracasso".

"A estabilidade é boa, o caos é um desastre", adverte-se no meso artigo, em que se insiste que "os diferentes pedidos sobre o desenvolvimento democrático de Hong Kong podem ser manifestados através de formas legais".

O Diário do Povo atribui os protestos "a um grupo reduzido" entre a população de Hong Kong, superior a sete milhões de habitantes.

"A democracia deve basear-se na lei, não na ditadura de uma minoria, e muito menos numa desculpa para um grupo diminuto", frisa.

O artigo acrescenta que os protestos, que cumprem hoje o 18.º dia, são "ilegais" e incluíram a invenção de "acusações e rumores" contra CY Leung e o seu Governo.

"A história recorda que os atos radicais e ilegais que vieram com eles apenas resultaram em mais atividades ilegais, exacerbando a desordem e o caos", refere o artigo no Diário do Povo, citado pela agência Efe.

DM // DM.

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Variante Delta representa 90% de casos na UE até final de agosto e mais mortes

A variante Delta do SARS-CoV-2 representará 90% das novas infeções na Europa até final de agosto e um aumento nos internamentos e mortes, estimou hoje o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), pedindo rápida vacinação.

AstraZeneca admite que tratamento com anticorpos não provou eficácia

A farmacêutica AstraZeneca admitiu hoje um retrocesso no desenvolvimento de um tratamento com anticorpos para a covid-19, uma vez que não ficou provada a sua eficácia nos ensaios clínicos em pessoas que foram expostas ao vírus.

Bolsonaro exonera Ministro do Meio Ambiente do Brasil Ricardo Salles

Brasília, 23 jun 2021 (Lusa) - O ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, cuja gestão foi marcada por várias polémicas, foi hoje exonerado pelo Presidente, Jair Bolsonaro, que nomeou para o cargo Joaquim Alvaro Pereira Leite.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.