Info

Hong Kong: Popularidade de secretário para a Segurança cai a pique

| Mundo
Fonte: Agência Lusa

Hong Kong, China, 15 out (Lusa) - A popularidade do secretário para a Segurança de Hong Kong caiu a pique depois de a polícia ter usado gás lacrimogéneo contra os manifestantes, revela uma sondagem da Universidade de Hong Kong.

A sondagem, citada pelo jornal South China Morning Post, indica que o saldo entre os votos de confiança a Lai Tung-kwok e os de desconfiança resultou "numa queda para zero" da popularidade do dirigente.

O inquérito de opinião, que se realiza todos os meses e avalia a popularidade de diferentes membros do Governo, decorreu entre 06 e 09 de outubro, depois de a polícia ter lançado gás lacrimogéneo 87 vezes sobre os manifestantes em Hong-Kong, além de gás pimenta, a 28 de setembro.

Robert Chung, diretor do programa de opinião pública da universidade, disse ao jornal que tudo indica que a queda seja motivada por estes incidentes. No mês passado, Lai Tung-kwok tinha uma taxa líquida positiva de 27%.

Há duas semanas que as ruas de Hong Kong têm sido ocupadas por protestos pró-democracia. Os manifestantes estão contra a proposta do Governo Central de permitir o sufrágio universal para a eleição do chefe do Executivo mas apenas depois de os candidatos serem pré-selecionados por Pequim.

ISG // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

AstraZeneca admite que tratamento com anticorpos não provou eficácia

A farmacêutica AstraZeneca admitiu hoje um retrocesso no desenvolvimento de um tratamento com anticorpos para a covid-19, uma vez que não ficou provada a sua eficácia nos ensaios clínicos em pessoas que foram expostas ao vírus.

Covid-19: Cerca de 365 mil adolescentes já foram vacinados em França

Paris, 22 jun 2021 (Lusa) - A vacinação para os jovens entre os 12 e os 17 anos abriu-se há cerca de duas semanas e cerca de 365 mil adolescentes receberam a primeira dose, quando as restrições de horários de confinamento em casa terminaram.

Deputado nega influenciar Governo e admite erros de previsões sobre pandemia no Brasil

São Paulo, 22 jun 2021 (Lusa) -- O deputado Osmar Terra, apontado como membro de um suposto 'gabinete paralelo' que aconselhava o Presidente do Brasil em políticas e medicamentos sem eficácia contra a covid-19, negou influenciar o governante, admitindo que errou em previsões sobre a pandemia.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.