Info

Hong Kong: Polícia nos locais de protesto começa a levantar barricadas

| Mundo
Fonte: Agência Lusa

Hong Kong, China, 13 out (Lusa) - Dezenas de polícias estavam concentrados esta manhã nos locais de protesto pró-democracia em Hong Kong e começaram a levantar as barricadas que paralisam o centro financeiro asiático há cerca de duas semanas, noticia a agência France Presse.

Os agentes da polícia, que vestiam coletes bastante visíveis, mas não usavam equipamento antimotim, removeram, pelo menos, uma barricada do principal local de protesto, em Admiralty - onde estão concentrados a sede do governo, secretarias e gabinete do chefe do Executivo - constatou um fotógrafo da AFP.

A polícia também estava concentrada noutro local de protesto, em Mong Kok, na península de Kowloon, de acordo com informação divulgada na televisão.

Os manifestantes que reivindicam a Pequim a democracia plena em Hong Kong têm sido criticados por parte da população, que os acusa de levarem a cidade a um impasse na última quinzena, e provocarem confrontos com elementos que se opõem à ocupação das ruas, além de gerarem a perturbação generalizada.

Apesar de repetidas ordens para dispersarem, as manifestações continuaram e no fim de semana foram reforçadas com tendas, chuveiros portáteis e criação de áreas de palestras e leitura.

O chefe do Executivo de Hong Kong, Leung Chun-ying, também conhecido por CY Leung, disse numa entrevista difundida no sábado pela estação TVB que os protestos teriam "zero hipóteses" de mudar a posição de Pequim e de garantir eleições livres.

Depois de a polícia ter sido criticada por ter usado gás lacrimogéneo contra manifestantes no último fim de semana de setembro, o chefe do Executivo de Hong Kong disse que se o governo tivesse que limpar os protestos, a polícia iria usar "o mínimo de força necessária".

Em causa nas manifestações de Hong Kong está a decisão de Pequim de conceder à população da antiga colónia britânica a possibilidade de, em 2017, eleger diretamente o seu líder de Governo, num processo que, no entanto, estará limitado à escolha prévia dos candidatos por um comité eleitoral que Pequim acaba por controlar.

Os manifestantes não aceitam a posição política de Pequim e querem ser eles a escolher livremente o seu líder sem entraves nem escolhas prévias dos candidatos.

FV/DM // JCS

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Estados Unidos aceleram retirada de americanos do Afeganistão

O Ministro dos Negócios Estrangeiros dos Estados Unidos da America está a agilizar a aceleração da retirada de americanos de solo afegão com o reforço de pelo menos 12 voos charter que podem voar diretos para os Estados Unidos ou para o Catar, apurou o Porto Canal.

CEO Intellcorp diz que "a situação de extração no Afeganistão, mesmo com negociação, tem um risco moderado a alto"

O CEO Intellcorp, Ruben M. Ribeiro, disse, em declarações exclusivas ao Porto Canal, que "a situação de extração no Afeganistão, mesmo com negociações e planeamentos, tem um risco moderado a alto". 

UE vai doar mais 200 milhões de vacinas a paises de baixo rendimento - Von der Leyen

 A União Europeia (UE) quer acelerar a vacinação da covid-19 nos países com baixo rendimento e vai doar mais 200 milhões de doses até meados de 2022, anunciou hoje a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.