Novo atraso. Reabilitação da Praça da Corujeira, no Porto, arranca em 2024, ano em que devia estar pronta

Novo atraso. Reabilitação da Praça da Corujeira, no Porto, arranca em 2024, ano em que devia estar pronta
| Porto
Porto Canal

A Câmara Municipal do Porto confirmou ao jornal PÚBLICO que a reabilitação da Praça da Corujeira, na zona oriental do Porto, está atrasada. O concurso público deve ser lançado no primeiro semestre de 2024 e o arranque da obra vai acontecer no último trimestre do mesmo ano.

2024 era o ano inicialmente previsto para a conclusão das obras na Praça da Corujeira, até porque já foi há quase três anos que a autarquia anunciou o vencedor do concurso arquitetónico e paisagístico. O projeto está nas mãos do Atelier Miguel Melo, de Guimarães.

O concurso, com verbas de 4,4 milhões de euros para a obra, previa uma “centralidade renovada”: deveria transformar a zona num dos “principais espaços lúdicos e turísticos da cidade e num ponto central das novas dinâmicas urbanas do território de Campanhã”, referia o concurso citado pelo PÚBLICO. Além disso, deveria contribuir para integrar a praça no “sistema de acessos ao centro da cidade a partir da zona oriental do Porto”.

Previsto para a praça, está a construção de um edifício-bar, com café, quiosque e sanitários. Os bancos originais vão ser recuperados, haverá bebedouros, áreas de jogos tradicionais e zonas para que crianças possam brincar.

Uma ideia inicial proposta pelo Atelier Miguel Melo, o “sky garden” – um parque de arborismo em plena Praça da Corujeira – não vai avançar.

"É um marco importante para a freguesia de Campanhã e para a cidade do Porto. O objetivo é reforçar a centralidade desta praça para Campanhã, valorizar a mobilidade, particularmente dos modos suaves, e reforçar o acesso à cidade do Porto a partir da zona oriental", analisou em 2020 o vereador com os pelouros do Urbanismo e do Espaço Público e Património, Pedro Baganha.

+ notícias: Porto

De “patinho feio” a cisne. Prédio devoluto na Boavista já tem projeto para arrendamento acessível

Já está em fase de conclusão o projeto que vai dar uma nova vida ao antigo edifício da Direção de Recrutamento Militar que está ao abandono desde finais de 2016. O prédio, que pertence ao Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) desde dezembro de 2021, tem sido foco de problemas para os moradores da Avenida da França, na Boavista. A ocupação indevida do espaço e o lixo acumulado têm atormentado os dias dos residentes dos edifícios vizinhos, conforme avançou o Porto Canal nos últimos dias.

Nova sala de consumo assistido no Porto "deveria ser colocada no Cerco"

O presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, considerou esta sexta-feira "um erro crucial" a nova unidade de consumo assistido ser móvel, defendendo uma infraestrutura a ficar sediada na zona do Cerco.

Memorando para STCP operar 'metrobus' do Porto aguarda assinatura desde maio de 2023

O memorando que permitirá à Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) operar o 'metrobus' do Porto, que está a ser construído pela Metro do Porto, aguarda assinatura desde maio de 2023, segundo a presidente da STCP Cristina Pimentel.