Requalificação do Matadouro. Segunda fase das obras já arrancou

Requalificação do Matadouro. Segunda fase das obras já arrancou
| Porto
Pedro Benjamim

Arrancou nos últimos dias a segunda fase das obras de requalificação do antigo Matadouro de Campanhã. Neste segundo passo da empreitada está contemplada a construção.

Fonte da construtora destacou ao Porto Canal a complexidade da obra, devido à passagem superior pela VCI, além do envolvimento de várias entidades no projeto, entre elas a Agência Portuguesa do Ambiente, a Metro do Porto, a Infraestruturas de Portugal e o Mercado Abastecedor.

No início de janeiro deste ano, o vereador com o pelouro do Urbanismo, Pedro Baganha, afirmava que está a ser cumprido o “cronograma normal dos trabalhos”.

A primeira fase das obras terminou em setembro de 2022, com a conclusão das demolições, terraplanagens, limpezas e sondagens revelava a Câmara do Porto à época.

 

O novo Matadouro

Porto Canal

O projeto consiste num edifício para acolher empresas, mas também reservas de arte, museus, auditórios, restauração e projetos de coesão social. Dos cerca de 26 mil metros quadrados, a reconversão prevê a utilização de cerca de 20.500 metros quadrados. Destes, 12.500 metros destinam-se a espaço empresarial, a ser explorados pela Mota-Engil, e o restante a espaços a serem explorados pelo município.

“Da área total, 60% será para negócios e vamos reservar 40% para nós. O que queremos fazer ali? Em primeiro lugar, arte pública, a Galeria Municipal”, explicava Rui Moreira, em junho de 2022.

O investimento de mais de 40 milhões de euros será integralmente assegurado pela Mota-Engil e no final dos 30 anos da concessão, o equipamento regressa à esfera municipal.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

+ notícias: Porto

Há um ano um fantasma batia à porta do Stop e metia 500 músicos de malas feitas na rua

Foi há um ano que o fantasma que assombrava os músicos há décadas bateu à porta do Stop, no Porto. O edifício da Rua do Heroísmo foi fechado e os artistas foram obrigados a fazer as malas e a sair de instrumentos nas mãos. Um ano depois, a resistência faz com que o edifício mantenha as portas abertas, mas no interior saltam à vista as inúmeras portas fechadas com um “aluga-se” estampado. O espaço tem um novo ar, a legalidade foi reposta e a administração garante que um novo fecho não acontecerá. Mas a incerteza continua a pairar sob a “verdadeira casa da música” portuense e a possibilidade da Câmara intervir pode mesmo vir a ser uma realidade.

PJ detém jovem de 16 anos por suspeita de pornografia de menores no Porto

Um jovem de 16 anos foi detido na quarta-feira pela Diretoria do Norte da Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de crimes de pornografia de menores desde dezembro de 2022, revelou esta quinta-feira em comunicado aquela polícia de investigação.

Arranque da revisão do regulamento do Mercado do Bolhão discutido pelo Executivo na segunda-feira

O executivo da Câmara do Porto discute na segunda-feira dar início à revisão do regulamento do Mercado do Bolhão por forma a "reponderar algumas das opções" implementadas quase dois anos após a sua reabertura.