Comissão de Ambiente vota hoje audição a Hugo Pires. Partidos querem ouvir secretário de Estado sobre notícia do Porto Canal

| País
Henrique Ferreira

A Comissão de Ambiente e Energia vota esta terça-feira (10 de janeiro) os requerimentos apresentados pelo PSD e pelo CHEGA para ouvir Hugo Pires, recém-empossado secretário de Estado do Ambiente. Em causa está o possível conflito de interesses no caso da venda de uma das suas empresas a um lóbi do lixo e a notícia avançada na sexta-feira pelo Porto Canal que dá conta de que o antigo deputado do PS não declarou uma participação social no registo de interesses, entregue durante a XIV legislatura.

Segundo Hugo Oliveira, vice-presidente do grupo parlamentar do PSD, a notícia avançada pelo Porto Canal “reforça a necessidade de ouvir o secretário de Estado do Ambiente, para que este se possa explicar. Para o social-democrata “a política deve fazer-se de forma séria e clara, também por quem faz oposição” e, por isso foi feito o requerimento para ouvir Hugo Pires.

Também o CHEGA solicitou ao presidente da Comissão de Ambiente e Energia, o deputado do PS Tiago Brandão Rodrigues, a audição do secretário de Estado do Ambiente. Segundo Rita Matias, a notícia do Porto Canal traz “ainda mais motivos” para que tal aconteça.

Em declarações ao Porto Canal, a deputada do CHEGA diz esperar que “as outras forças políticas, nomeadamente o Partido Socialista, viabilizem esta oportunidade de ouvir o secretário de Estado, para que este possa demonstrar se tem ou não a ética necessária para exercer as funções para a qual foi nomeado”.

Ministério do Ambiente continua em silêncio

Na sexta-feira, o Porto Canal noticiou que Hugo Pires não declarou uma das empresas de que era sócio no registo de interesses entregue ao Tribunal Constitucional, enquanto era deputado. A falha representa um incumprimento da lei n.º 52/2019, que obriga os titulares de cargos políticos a comunicar rendimentos, património e incompatibilidades.

Em causa está a participação do secretário de Estado na sociedade ‘Palavras Suspensas’ entre 8 de fevereiro de 2021 e 23 de fevereiro de 2022, data em que foi dissolvida. O antigo deputado do PS detinha uma participação de 4.750 euros, correspondente a 95% do capital da empresa com sede em Braga.

Até ao momento, e apesar dos vários pedidos de esclarecimento do Porto Canal, o Ministério do Ambiente e da Ação Climática mantem-se em silêncio sobre este caso.

PCP pede que “tudo seja devidamente apurado”

Em reação à notícia avançada pelo Porto Canal, o Partido Comunista garante que “se havia interesses a declarar que não foram declarados” é necessário que “tudo seja devidamente apurado, extraindo-se as consequências que seja necessário extrair”.

Ao Porto Canal, o deputado Alfredo Maia sublinha, no entanto, que “estes incidentes não podem servir de biombo para ocultar os reais problemas do país” como o aumento do custo de vida e das taxas de juro.

“Há um dever de esclarecimento de toda a verdade”

Em declarações ao Porto Canal, o especialista em Direito Administrativo, Licínio Lopes, garante que “do ponto de vista legal devia ter existido uma declaração de retificação para completar totalmente a declaração de registo de interesses que foi entregue no Tribunal Constitucional.

Quanto às possíveis consequências para o secretário de Estado, o jurista explica que só existirão se se comprovar a relevância do caso, ou seja, se existirem incompatibilidades entre a empresa em causa e a atividade de Hugo Pires, enquanto de deputado.

Apesar disso, para Licínio Lopes, do ponto de vista político “há um dever de esclarecimento de toda a verdade”.

+ notícias: País

Vinte e quatro vítimas de abuso querem indemnização da Igreja Católica

O grupo Vita recebeu até ao momento 24 pedidos de indemnização financeira, por danos sofridos, de vítimas de abuso sexual no seio da Igreja Católica em Portugal, iniciando na terça-feira um roteiro pelas dioceses do país, foi este domingo anunciado.

FC Porto vai ter jogo difícil frente a Belenenses moralizado afirma Paulo Fonseca

O treinador do FC Porto, Paulo Fonseca, disse hoje que espera um jogo difícil em casa do Belenenses, para a 9.ª jornada da Liga de futebol, dado que clube "vem de uma série de resultados positivos".

Proteção Civil desconhece outras vítimas fora da lista das 64 de acordo com os critérios definidos para registar os mortos dos incêndios na região centro

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) disse hoje desconhecer a existência de qualquer vítima, além das 64 confirmadas pelas autoridades, que encaixe nos critérios definidos para registar os mortos dos incêndios na região centro.