Novo terminal de autocarros vai nascer no coração de Gondomar 

Novo terminal de autocarros vai nascer no coração de Gondomar 
| Porto
Catarina Cunha

A Câmara Municipal de Gondomar está a construir um “mini terminal rodoviário” no Largo do Souto. Aquele que é para muitos gondomarenses o coração do concelho vai sofrer uma transformação que lhe permita albergar os autocarros da nova rede de transportes UNIR, a marca sob a qual vão operar as transportadoras da Área Metropolitana do Porto (AMP).

A abertura ao público ocorrerá no próximo dia 1 de dezembro, altura em que vai arrancar a operação da UNIR em todos os municípios da AMP. Ao Porto Canal o autarca de Gondomar avançou que “se tudo correr bem” esta quarta-feira serão divulgados os horários das novas linhas.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

A pouco mais de uma semana ‘da abertura de portas’, a construção da infraestrutura já começou.

As obras encontram-se no entanto atrasadas, algo que a autarquia justifica com o mau tempo que se fez sentir na cidade ao longo das últimas semanas e o ataque informático que assolou o concelho em meados de setembro.

Porto Canal

As obras do Terminal já arrancaram... mas os atrasos não são escondidos pela autarquia

Apesar dessas adversidades, o presidente da Câmara Municipal de Gondomar prevê que a requalificação esteja concluída “no dia 29 de novembro, para que no dia 1 de dezembro arranque a operação da UNIR”.

Em declarações ao Porto Canal, Marco Martins comenta que o novo terminal de Gondomar com nove cais será “o principal ponto de paragem e início de linha” da nova rede de transportes, "aumentando em mais de 37% a oferta de transporte público” na cidade.

Porto Canal

Novo terminal vai contar com nove cais e ficar a poucos metros da futura estação de Metro

“Passamos de 90 para 300 circulações por dia na rede UNIR, face à Gondomarense”, ressalva o edil, assumindo que a nova rede de autocarros vai “contribuir para mais mobilidade e até para a descarbonização do planeta”.

Os cais de atracagem para os autocarros serão ajustados com “condições de conforto para os utentes para poderem estar abrigados e mudarem de linha, de forma a minimizar o impacto da circulação, quer para o transporte público, quer para o trânsito local, que aqui é muito”, destaca.

O investimento da autarquia na estrutura foi de cerca de 110 mil euros, sendo que a nova rede de autocarros utiliza quatro dígitos para identificar as linhas e em Gondomar o primeiro número manter-se-á o 8.

“Transbordo fácil e direto” entre metro e autocarro

Como o Porto Canal noticiou, a necessidade de assegurar uma ligação de metro mais rápida entre a Estação de Campanhã e o núcleo urbano de Gondomar era uma reivindicação dos gondomarenses que se arrastava já há vários anos. A esperança da concretização desse objetivo renasceu quando foi anunciada a linha Gondomar II, entre o Estádio do Dragão e o Souto.

Marco Martins recorda que o metro irá terminar, precisamente, no largo do Souto, contíguo ao futuro terminal rodoviário do Município. As obras que estão a ser feitas “não são demasiado estruturais”, uma vez que essa intervenção só será necessária quando o projeto do metro “estiver consolidado”.

“Quando nós insistimos para a alteração do traçado (…) foi não só para aproximar (os transportes públicos) das escolas, dos serviços e do comércio local, mas também para permitir um transbordo fácil e direto entre o modo rodoviário e o ferroviário ligeiro”, vincou o autarca.

Nessa altura, Gondomar terá “um cais central”.

+ notícias: Porto

Um ano depois do novo regulamento, Movida continua a não dar descanso aos moradores da Baixa do Porto

“Eles ficam com o dinheiro, e nós ficamos com o barulho”. O desabafo de Paula Amorim perdura há mais de 15 anos, altura em que a vida noturna começou a crescer na Baixa do Porto. A moradora, juntamente com outra, Sara Gonçalves, tem sido o rosto de uma luta que parece não ter fim, nem com um novo regulamento lançado há um ano: “Não desisto porque tenho direito ao descanso”. Câmara admite rever regras.

Porto vai ter mais ruas com acesso condicionado a automóveis

O executivo municipal aprovou por maioria, na reunião desta segunda-feira, a aquisição de serviços para a manutenção do sistema de gestão das Zonas de Acesso Automóvel Condicionado (ZAAC) existentes. Mas vão ser criadas novas zonas.

Metrobus. Acesso da Avenida da Boavista à Rua António José da Costa vai estar interdito

Com a construção da primeira fase do traçado do metrobus, o acesso da Avenida da Boavista à Rua António José da Costa estará interdito a partir de terça-feira e até 12 de abril. Desta forma, os automobilistas que tencionem dirigir-se a esta artéria terão de seguir pelas ruas António Cardoso e António Patrício.