Metro retifica projeto da Avenida da Boavista e alarga passeios após críticas de utilizadores

Metro retifica projeto da Avenida da Boavista e alarga passeios após críticas de utilizadores
Foto: Ana Francisca Gomes | Porto Canal
| Porto
Ana Francisca Gomes

A obra do Metrobus na Avenida da Boavista, no Porto, tem gerado contestação devido a um troço do projeto que prevê o estreitamento dos passeios. Pedro Baganha, vereador com o pelouro do Urbanismo e Espaço Público, considera que as críticas são “completamente pertinentes” e avançou ao Porto Canal que o projeto vai ser retificado. Fonte da Metro do Porto confirmou a informação e acrescentou que serão suprimidos nove lugares de estacionamento.

O autarca eleito pelo movimento independente de Rui Moreira mostra-se irredutível: “A Câmara Municipal do Porto não aceita um passeio dessa dimensão na Avenida da Boavista”.

A lei obriga a que um passeio tenha, no mínimo, 1,5 metros de largura, mas o projeto da Metro do Porto, aprovado pela autarquia, apresenta estreitamentos e larguras inferiores. No troço da Avenida da Boavista junto ao Porto Palácio Hotel, o passeio que está a ser reconstruído tem cerca de 1,20 metros.

“Verificamos essa situação nesse troço e já o tínhamos alertado em fase de projeto. Apesar desse alerta, a obra avançou. Vai ser corrigido e o passeio vai ser significativamente mais largo”, garantiu Pedro Baganha em declarações ao Porto Canal.

Mas então o que terá falhado? O vereador aponta para a Metro do Porto e para o projetista. “Nem sempre tudo acontece como nós desenhamos. Há, de facto, coisas que correm mal. E esta claramente correu mal.”

“A boa notícia é que ainda vamos a tempo [de corrigir], porque a obra ainda não está concluída e está num estágio em que é relativamente simples resolver estes problemas”.

O vereador assegura ainda que esta decisão é consensual entre a autarquia e a Metro do Porto e fonte ligada ao processo afirma ao Porto Canal que já terá sido dado instruções à empresa construtora para retificar o estreitamento, através do alargamento dos passeios. “A Metro do Porto também está alinhada com a Câmara. Quando visitámos esse troço em particular - que é o mais dramático da Avenida - houve um consenso total de que a solução não é possível ser aquela”.

Fonte ligada ao projeto avança que, para o passeio ser mais largo, serão retirados nove lugares de estacionamento de quatro zonas. A impedir uma maior largura deste passeio estão ainda canteiros, que serão mantidos, mas vão-lhes ser colocadas grelhas de ajardinamento, o que preservará a área permeável e permitirá que possam ser pisados. A mesma fonte ressalva, contudo, que esta é apenas uma retificação do projeto. “O projeto mantém-se inalterado, já que são preservados os seus princípios.”

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

Transporte público é “prioridade”

Fonte da Metro do Porto garantiu ao Porto Canal que a prioridade do projeto do Metrobus, e consequente reformulação do espaço público da Avenida da Boavista e Avenida Marechal Gomes da Costa, é o transporte público e não o transporte individual.

Ao longo de todo o percurso, serão suprimidos cerca de 150 lugares de estacionamento, que passam de 230 para 80. Ao mesmo tempo, a Metro irá abrir longitudinalmente zonas de jardins e canteiros de modo a garantir maior permeabilidade da Avenida - áreas de escoamento das águas em dias mais chuvosos.

A mesma fonte reconhece alguns estreitamentos, mas garante que a Metro procura um “equilíbrio” ao longo do percurso. Em frente às estações, todo o estacionamento foi suprimido. Mas lembra que é ainda necessário “afinar o projeto” nesta fase de empreitada, devido à sua natureza contratual, de concepção-construção.

+ notícias: Porto

Restaurante Antiqvvm no Porto ganha segunda estrela Michelin

O restaurante Antiqvvum no Porto ganhou este terça-feira a segunda estrela do guia Michelin, enquanto quatro estabelecimentos conquistaram uma estrela, anunciou a publicação, numa cerimónia exclusivamente dedicada a Portugal, em Albufeira.

Câmara do Porto volta a lançar concurso para reabilitação do Jardim da Cordoaria

A Go Porto publicou esta terça-feira o concurso público para a empreitada de reabilitação do Jardim da Cordoaria, no Porto, pelo valor de 528 mil euros. Esta obra já tinha sido alvo de um concurso publicado em março do ano passado.

“O centralismo é evidente. Não há forma de esconder”. Portugueses querem a regionalização

Seja no que diz respeito ao aproveitamento de fundos europeus ou na ideia de uma maior autonomia, a maioria dos portugueses parece estar a favor da regionalização, como mostra uma sondagem da associação SEDES e a auscultação de alguns portuenses pelo Porto Canal.