Obras do Metrobus empurram Monumento do Empresário da Boavista para Campanhã

Obras do Metrobus empurram Monumento do Empresário da Boavista para Campanhã
| Porto
Porto Canal

Monumento da autoria de José Rodrigues já começou a ser desmontado e vai ser recolocado em Campanhã.

A estrutura está há 31 anos na interseção das avenidas da Boavista com a Marechal Gomes da Costa, no Porto, mas vai passar a ter nova casa, na rotunda da Avenida de 25 de Abril, na freguesia de Campanhã.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

A zona onde se encontra, até então, está na linha de traçado do futuro Metrobus e das novas faixas de rodagem, o que torna obrigatória a sua recolocação noutra zona da cidade.

O monumento é composto por três estruturas, uma com 18 metros, outra com 10 e uma esfera com 3,5 metros de diâmetro e no local de onde vai ser retirado, vão nascer mais espaços verdes.

+ notícias: Porto

O antigo quarteirão da Casa Forte mudou com o Porto

O antigo quarteirão da Casa Forte, no coração do Porto, ganhou o nome da loja da esquina voltada ao Mercado do Bolhão. A emblemática empresa da cidade viria a encerrar em 2004, paradoxalmente o ano da criação da Porto Vivo, Sociedade de Reabilitação Urbana, que lançou as bases da nova vida do quarteirão. Entre projetos, demolições e mudança de promotores imobiliários, só ao fim de quase 20 anos é que o espaço da cidade vai voltar a receber moradores. Numa viagem pela história, que resposta dá à cidade o novo Quarteirão da extinta Casa Forte?

“A ‘cidade-negócio’ vai-se descaracterizando completamente perdendo interesse até para turistas”

A histórica Mercearia do Bolhão, aberta no Porto desde 1880, vai encerrar portas a 30 de abril para dar lugar a uma loja da multinacional Ale-Hop, como avançou o Porto Canal na manhã desta sexta-feira. À esquerda, os vereadores da oposição da Câmara do Porto lamentam que a cidade se vá ‘descaracterizando’.

Neonia: o novo museu interativo e néon que ilumina a história do Porto

Sabia que em 1917, dois acrobatas subiram à Torre dos Clérigos sem qualquer equipamento de proteção para promover uma marca de bolachas? Apesar de já ter passado mais de um século, este é um entre os tantos acontecimentos lembrados no novo museu que abriu portas este sábado no coração do Porto. “O Neonia é uma pura homenagem à cidade”, sublinha um dos responsáveis.