Metro retifica projeto da Avenida da Boavista e alarga passeios após críticas de utilizadores

Metro retifica projeto da Avenida da Boavista e alarga passeios após críticas de utilizadores
Foto: Ana Francisca Gomes | Porto Canal
| Porto
Ana Francisca Gomes

A obra do Metrobus na Avenida da Boavista, no Porto, tem gerado contestação devido a um troço do projeto que prevê o estreitamento dos passeios. Pedro Baganha, vereador com o pelouro do Urbanismo e Espaço Público, considera que as críticas são “completamente pertinentes” e avançou ao Porto Canal que o projeto vai ser retificado. Fonte da Metro do Porto confirmou a informação e acrescentou que serão suprimidos nove lugares de estacionamento.

O autarca eleito pelo movimento independente de Rui Moreira mostra-se irredutível: “A Câmara Municipal do Porto não aceita um passeio dessa dimensão na Avenida da Boavista”.

A lei obriga a que um passeio tenha, no mínimo, 1,5 metros de largura, mas o projeto da Metro do Porto, aprovado pela autarquia, apresenta estreitamentos e larguras inferiores. No troço da Avenida da Boavista junto ao Porto Palácio Hotel, o passeio que está a ser reconstruído tem cerca de 1,20 metros.

“Verificamos essa situação nesse troço e já o tínhamos alertado em fase de projeto. Apesar desse alerta, a obra avançou. Vai ser corrigido e o passeio vai ser significativamente mais largo”, garantiu Pedro Baganha em declarações ao Porto Canal.

Mas então o que terá falhado? O vereador aponta para a Metro do Porto e para o projetista. “Nem sempre tudo acontece como nós desenhamos. Há, de facto, coisas que correm mal. E esta claramente correu mal.”

“A boa notícia é que ainda vamos a tempo [de corrigir], porque a obra ainda não está concluída e está num estágio em que é relativamente simples resolver estes problemas”.

O vereador assegura ainda que esta decisão é consensual entre a autarquia e a Metro do Porto e fonte ligada ao processo afirma ao Porto Canal que já terá sido dado instruções à empresa construtora para retificar o estreitamento, através do alargamento dos passeios. “A Metro do Porto também está alinhada com a Câmara. Quando visitámos esse troço em particular - que é o mais dramático da Avenida - houve um consenso total de que a solução não é possível ser aquela”.

Fonte ligada ao projeto avança que, para o passeio ser mais largo, serão retirados nove lugares de estacionamento de quatro zonas. A impedir uma maior largura deste passeio estão ainda canteiros, que serão mantidos, mas vão-lhes ser colocadas grelhas de ajardinamento, o que preservará a área permeável e permitirá que possam ser pisados. A mesma fonte ressalva, contudo, que esta é apenas uma retificação do projeto. “O projeto mantém-se inalterado, já que são preservados os seus princípios.”

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

Transporte público é “prioridade”

Fonte da Metro do Porto garantiu ao Porto Canal que a prioridade do projeto do Metrobus, e consequente reformulação do espaço público da Avenida da Boavista e Avenida Marechal Gomes da Costa, é o transporte público e não o transporte individual.

Ao longo de todo o percurso, serão suprimidos cerca de 150 lugares de estacionamento, que passam de 230 para 80. Ao mesmo tempo, a Metro irá abrir longitudinalmente zonas de jardins e canteiros de modo a garantir maior permeabilidade da Avenida - áreas de escoamento das águas em dias mais chuvosos.

A mesma fonte reconhece alguns estreitamentos, mas garante que a Metro procura um “equilíbrio” ao longo do percurso. Em frente às estações, todo o estacionamento foi suprimido. Mas lembra que é ainda necessário “afinar o projeto” nesta fase de empreitada, devido à sua natureza contratual, de concepção-construção.

+ notícias: Porto

Acidente na A3 coloca trânsito no Porto em "estado de sítio"

Os principais acessos de entrada e saída da cidade do Porto fazem-se de forma lenta no final da tarde desta quarta-feira.

Acidente na A3 deixa trânsito no Porto em "estado de sítio"

Os principais acessos de entrada e saída da cidade do Porto fazem-se de forma lenta no final da tarde desta quarta-feira.

Serviço para carregar Andante no telemóvel disponível em março

Um novo serviço que permitirá carregar o bilhete Andante, usado na Área Metropolitana do Porto (AMP), através do telemóvel, poupando a obrigação de carregamento nas máquinas, deve entrar ao serviço em março, segundo os Transportes Intermodais do Porto (TIP).