Paulo Gonçalves condenado a pena suspensa no caso E-toupeira

| Desporto
Porto Canal

Ex-assessor jurídico do Benfica foi condenado a dois anos e seis meses de prisão com pena suspensa.

Paulo Gonçalves foi condenado por um crime de corrupção ativa no âmbito do processo E-toupeira. José Augusto Silva foi também condenado a cinco anos de prisão com pena suspensa. Apenas o funcionário Júlio Loureiro foi absolvido no processo de corrupção.

O ex-assessor jurídico do Benfica estava acusado de um crime de corrupção ativa, seis de violação do segredo de justiça, 21 de violação de segredo por funcionário, nove de acesso indevido, também nove de violação do dever de sigilo, em coautoria, dois crimes de acesso indevido e dois de violação do dever de sigilo.

O caso E-Toupeira remonta a 2018 e, segundo a acusação do Ministério Público, o presidente da Benfica SAD, Luís Filipe Vieira, teve conhecimento e autorizou a entrega de benefícios aos dois funcionários judiciais, por parte de Paulo Gonçalves, a troco de informações sobre processos em segredo de justiça, envolvendo o Benfica, mas também clubes rivais.

+ notícias: Desporto

FC Porto: Reviravolta dos 'Dragões' no retomar da Taça garante 'meias'

O FC Porto venceu, esta quarta-feira, o Santa Clara, por duas bolas a uma, no Estádio de São Miguel, carimbando presença nas meias-finais da Taça de Portugal. 

FC Porto: A rotina da taça. Crónica de jogo

FC Porto venceu o Santa Clara (2-1) e alcançou as meias-finais como sempre aconteceu com Sérgio Conceição

Confrontos no dérbi provocam ferido

No decorrer dos confrontos entre adeptos do Sporting-Benfica, em Alvalade, uma pessoa foi assistida com ferimentos ligeiros, não necessitando de transporte ao hospital.