Bairro da Pasteleira/Pinheiro Torres. Ano de 2022 marcado por mais de 400 detenções e 322 mil doses de estupefacientes apreendidos

Bairro da Pasteleira/Pinheiro Torres. Ano de 2022 marcado por mais de 400 detenções e 322 mil doses de estupefacientes apreendidos
| Porto
Porto Canal

Foram divulgados pela Polícia de Segurança Pública os dados relativos às operações policiais realizadas pela força de segurança no Bairro da Pasteleira/Pinheiro Torres ao longo do ano de 2022.

De acordo com as informações recolhidas, de 1 de janeiro a 31 de dezembro terão existido nesses locais um total de 1859 ações que envolveram 5684 polícias e levaram à identificação de 1214 pessoas. Das 467 detenções efetuadas, a maioria deveu-se à posse de droga (338), seguida por infrações de trânsito (59), mandados de captura (31) e furto de veículo (24).

No que toca a estupefacientes, foi apreendido um total de 322 mil doses, entre elas 242 mil de heroína, 53 mil de cocaína e 22 mil de canábis.

Ao longo dos 365 dias do ano de 2022 foram apreendidos €264.349,65, numa média de €724 por dia.

No início de janeiro o Porto Canal esteve presente naquela que foi mais uma operação de visibilidade e prevenção criminal no Bairro da Pasteleira.

Na altura, o Comissário Eduardo Silva, afirmou que a PSP tem "perfeita noção de que a Pasteleira Nova e Pinheiro Torres são um foco do tráfico de estupefacientes e é por isso que grande parte do policiamento é centrado nesta zona".

"Não temos problemas em admitir que é a zona da cidade mais policiada e que nos faz estar aqui todos os dias, mais do que uma vez por dia, às vezes com equipas de intervenção rápida e noutras com operações mais musculadas, como é o caso de hoje, em que envolvemos meios do trânsito, da Unidade Especial de Polícia, da investigação criminal e em articulação com o policiamento de visibilidade que efetuamos", explicou o comissário.

+ notícias: Porto

Centro de apoio a sem-abrigo apela a revisão do plano de contingência do Porto

O Centro de Apoio ao Sem Abrigo (CASA) do Porto apelou esta quinta-feira à alteração do plano de contingência municipal, por considerar “redutor” o critério da temperatura mínima de 3 graus Celsius que determina a sua ativação.

Proposta de criminalização do consumo de droga “não é feliz”, defende membro do grupo municipal de Rui Moreira

Pedro Schuller, membro da Assembleia Municipal eleito pelo “Porto, o Nosso Movimento”, considera que a proposta apresentada por Rui Moreira para a criminalização do consumo de droga [em espaços públicos] não “foi feliz ou adequeada”. O jovem dirigente da Iniciativa Liberal considera que “Portugal é um caso de sucesso, precisamente por tratar a droga como um problema de saúde pública e não como um problema legal”. Sobre a moção, aprovada pelo executivo na semana passada, diz que o objetivo de alertar para a problemática da droga no Porto “foi conseguido” mas que, “com mais cuidado, o objetivo tinha sido cumprido de uma forma mais consequente”.

Camião 'engolido' em aluimento de terras no centro do Porto

Um veículo pesado foi esta quinta-feira engolido na Rua Trindade Coelho, na zona entre a interseção com a Rua das Flores e o Largo dos Loios.