Rua Alexandre Braga, junto ao Bolhão, vai ser destinada só a peões

| Porto
Porto Canal

A Rua de Alexandre Braga junto ao Mercado do Bolhão, no Porto, vai encerrar na próxima segunda-feira com o objetivo de reabrir, num espaço de dois meses, destinada apenas à circulação de peões. A notícia avançada pelo 'Jornal de Notícias' e confirmada pelo Porto Canal junto da autarquia, dá conta que a Rua Alexandre Braga será transformada "numa artéria idêntica à paralela Santa Catarina, com comércio diversificado, esplanadas e animação de rua".

O vereador do Urbanismo e Espaço Público, Pedro Baganha, explicou ao 'Jornal de Notícias' que a obra "é mínima" e consiste na transformação da "faixa de rodagem, colocando-a ao nível dos passeios". A calçada portuguesa será para manter, "mas o asfalto será retirado e no local colocado cubo de granito serrado igual ao que existe na Avenida dos Aliados", acrescentou Pedro Baganha.

Com a criação do túnel de acesso ao parque subterrâneo do mercado, os autocarros já não voltam a passar pela rua e, assim, esta fica com "apetência para ser mais calma, amiga do peão e do comércio", disse Pedro Baganha ao 'Jornal de Notícias'.

A Rua de Santa Catarina abriu o primeiro troço pedonal ainda na década de 70 e, atualmente, é a rua com maior tráfego pedonal, cerca de 4200 pessoas por hora. Esta afluência é explicada pela existência de comércio ativo, um facto que vem confirmar o ressurgimento do setor, nos últimos anos, no centro do Porto.

+ notícias: Porto

Antigo Matadouro de Campanhã já tem 700 postos de trabalho confirmados

A Mota-Engil é a primeira empresa a anunciar que irá ocupar escritórios no antigo Matadouro de Campanhã. A construtora portuense terá no futuro centro empresarial e cultural cerca de 700 trabalhadores, avançou ao Porto Canal, a presidente da Emerge.

O nome de Gisberta já está cravado nas ruas do Porto

Já foi colocada a placa toponímica na “Rua Gisberta Salce Júnior” na freguesia do Bonfim, no Porto. A decisão da atribuição foi aprovada no final de janeiro pelo executivo da Câmara do Porto.

Descentralização permite maior envolvimento da Câmara do Porto em processos sociais

A Câmara Municipal do Porto acompanhou mais de 7.200 processos sociais desde a transferência de competências na ação social, área em que gastou cerca de 2,1 milhões de euros desde abril de 2023, foi esta sexta-feira revelado.