Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

"64 mortos interpelam-nos, exigindo verdade" - Marcelo Rebelo de Sousa

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 17 jul (Lusa) - O Presidente da República reiterou hoje a exigência de apuramento da verdade quanto ao incêndio de Pedrógão Grande que fez 64 mortos, lembrando que "os poderes públicos não corresponderam às expectativas" dos portugueses.

"Sessenta e quatro mortos interpelam-nos, exigindo verdade, convergência e reconstrução, com a humildade de assumirmos que os poderes públicos não corresponderam às expectativas neles depositadas", acentua Marcelo Rebelo de Sousa numa mensagem colocada no "site" da Presidência, "por ocasião do 30.º dia da Tragédia.

O chefe de Estado já tinha colocado hoje de manhã uma mensagem para agradecer a solidariedade dos portugueses após os incêndios na região Centro, que fizeram 64 mortos e 250 feridos, mas optou depois por autonomizar o agradecimento e colocar um outro texto na página para relembrar a exigência do apuramento dos factos

"Um mês depois da tragédia, evocando respeitosamente as vítimas, acompanhando a dor dos seus familiares, agradecendo o heroísmo anónimo dos que combateram o fogo e dos que testemunharam e testemunham solidariedade, relembro a exigência de apuramento total de factos e de responsabilidades, e de reconstrução imediata, em clima de trégua eleitoral local, aliás à medida da ilimitada generosidade do povo português", sublinha.

No texto de agradecimento, ligeiramente alterado relativamente à versão inicial, Marcelo volta a agradecer as manifestações de solidariedade e pesar que lhe foram endereçadas.

"O Presidente da República agradece as sugestões, opiniões, palavras de solidariedade e votos de pesar que lhe foram dirigidos pelos Portugueses na sequência dos incêndios na região centro de Portugal e, em particular da tragédia de 17 de junho, faz hoje um mês", lê-se no texto agora autonomizado.

Os incêndios de junho iniciados em Pedrógão Grande provocaram 64 mortos e mais de 200 feridos e consumiram mais de 53 mil hectares.

Os fogos da região Centro afetaram aproximadamente 500 habitações, quase 50 empresas e os empregos de 372 pessoas.

Os prejuízos diretos dos incêndios ascendem a 193,3 milhões de euros, estimando-se em 303,5 milhões o investimento em medidas de prevenção e relançamento da economia.

JPS (NS) // SB

+ notícias: Política

Municípios rejeitam propostas de habitação do Governo

A direcão da Associação Nacional de Municípios rejeitou duas das propostas do Governo para a habitação apresentadas esta semana, o programa 1º Direito e o Programa Arrendamento Acessível. É que apesar das autárquias quererem ter mais competências nesta matéria avisam que são necessárias as devidas e proporcionais transferências financeiras.

Governo investe 70 milhões em 303 projetos de valorização turística do interior

O Governo vai investir 70 milhões em 303 projetos de valorização turística do interior. O anúncio foi feito por Caldeira Cabral durante a assinatura de projetos apoiados pelo programa valorizar na região centro.

Tiago Brandão Rodrigues nega ilegalidades no concurso extraordinário de professores

O Ministro da Educação nega ilegalidades no concurso extraordinário de professores. A propósito das críticas da FENPROF sobre o concurso Tiago Brandão Rodrigues diz que houve negociação e que "legalmente foi tudo acautelado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS