Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

PSD exige ouvir MAI para saber "o que foi feito" no último mês perante novas falhas

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 17 jul (Lusa) - O PSD exigiu hoje a presença da ministra da Administração Interna no parlamento "com a máxima urgência" para explicar "o que foi feito" para colmatar as falhas verificadas no incêndio de Pedrógão Grande, perante novos problemas detetados em Alijó.

"Um mês depois, o PSD quer saber o que é que o Governo fez para colmatar lacunas na prevenção e combate aos incêndios florestais", afirmou o vice-presidente da bancada do PSD Carlos Abreu Amorim, exigindo explicações de Constança Urbano de Sousa sobre o que foi feito "para tranquilizar as populações" e para que "os apoios sociais e a ajuda necessários" cheguem às populações afetadas.

Em conferência de imprensa no parlamento, Abreu Amorim acrescentou que o PSD teme "que tenha sido feito muito pouca coisa perante as falhas" detetadas no domingo no Sistema Integrado de Redes de Emergência de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) no incêndio de Alijó (Vila Real).

SMA // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Política

PGR diz ser ilegítimo protesto dos enfermeiros especialistas e diz que estes podem ser responsabilizados civil e disciplinarmente

Os enfermeiros especialistas em protesto podem ser responsabilizados civil e disciplinarmente, bem como incorrer em faltas injustificadas, segundo um parecer do conselho consultivo da Procuradoria-geral da República.

Cofundador da Altice acusa Governo de não valorizar investimento da empresa em Portugal

O cofundador da Altice Armando Pereira afirmou esta quinta-feira, em Vieira do Minho, que o Governo português "muitas vezes não vê a importância" do investimento daquele grupo francês em Portugal.

Registo de 'drones' e seguro vão passar a ser obrigatórios

O registo de 'drones', que implicará o pagamento de taxas administrativas, e a contratualização de um seguro de responsabilidade civil, vão ser obrigatórios, de acordo com a proposta de decreto-lei, a que a Lusa teve acesso.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS