Bragança vai ser a primeira cidade portuguesa ligada diretamente à alta velocidade já em 2026

Bragança vai ser a primeira cidade portuguesa ligada diretamente à alta velocidade já em 2026
| Norte
Francisco Graça

Bragança vai ser a primeira cidade portuguesa com ligação direta aos comboios de alta velocidade. A “estrada melhorada”, que já está adjudicada, vai ligar a capital de distrito a Puebla de Sanabria, localização espanhola com AVE – um comboio que pode atingir 300 quilómetros por hora. A empreitada deve estar concluída em 2026 e vai custar 29 milhões de euros.

Era um desejo com mais de duas décadas: uma estrada “sem buracos” e “com menos curvas” que fizesse a antiga ligação de contrabando que junta Bragança às aldeias de Varge, Rio de Onor e o lado espanhol. Isto porque a pequena vila história de Puebla de Sanabria tem, desde 2021, ligação de alta velocidade ao TGV espanhol.

A linha rápida, também conhecida como AVE, podia mudar tudo: ao chegar aos 300 quilómetros por hora (apesar de a linha da Galiza ter limites de velocidade mais reduzidos), tece facilmente os territórios ibéricos, e pode juntar Sanabria a Madrid em menos de duas horas.

Há aqui uma dupla ironia. Por um lado, fazer os 350 quilómetros que distam Sanabria e a capital espanhola fazem-se em 1h51 minutos, mas 45 quilómetros entre Bragança e a estação exigem paciência e cuidado, desviam entre curva contracurva durante quase uma hora. E isso “não é exequível”.

“Precisamos de um tapete novo daqui a Bragança, a cada meio ano tenho de mudar as rodas do carro. Não ganhamos para as rodas”, critica uma das 76 pessoas que vive em Rio de Onor e que trabalha num dos únicos cafés da aldeia. “Uma nova estrada vai ajudar muito Bragança, em vez de demorarem 50 minutos, os espanhóis vão demorar dez ou 15 minutos a cá chegar. É bom para o comércio, bom para as feiras”, diz um habitante de Varge ouvido pelo Porto Canal.

O outro lado da ironia prende-se com um fator histórico. Uma das primeiras capitais de distrito a ficar sem comboio, logo em 1991 com o encerramento da linha do Tua entre Bragança e Mirandela, é a cidade portuguesa mais próxima de uma estação de alta velocidade, servida pelos comboios mais modernos do mundo.

A recuperação da estrada vai custar 29 milhões de euros vindos do Plano de Recuperação e Resiliência. A Câmara de Bragança já adjudicou a execução da via, que não pode ser transformada em autoestrada ou IP por atravessar o Parque Natural de Montezinho.

Porto Canal

A estrada com buracos e perigosa é feita devagar. Se os 350km de comboio à capital espanhola se fazem em alta velocidade, chegar até à estação demora praticamente uma hora

“Uma ligação rodoviária ao AVE espanhol é premente”, avalia o presidente da Câmara Municipal de Bragança. O turismo espanhol é uma mais-valia para o território, mas também as ligações comerciais, exportações através da ferrovia e aumento da mobilidade são um fator de crescimento de um concelho português envelhecido.

“A obra consiste na reabilitação da estrada existente, com a correção do traçado”, explica Hernâni Dias. A estrada vai alargar e ficar mais segura. “Vai haver uma variante na aldeia de Varge e em Rio de Onor, mas fica a faltar um ponte internacional, que vai depender do Governo português e do Governo espanhol, por forma a evitar que estejamos a fazer uma estrada até um determinado ponto, os espanhóis também reabilitem do lado de lá, e depois não haja uma ligação que é obrigatório ser feita”.

+ notícias: Norte

Câmara de Gondomar aprova contas de 2023 com saldo positivo

A Câmara de Gondomar aprovou esta sexta-feira, com os votos contra da oposição, o relatório e contas de 2023, que apresenta um saldo positivo de 610 mil euros, situação que o presidente atribuiu aos conflitos na Ucrânia e em Gaza.

Terminaram buscas por jovem desaparecido em Gaia

As buscas permanentes pelo jovem de 16 anos desaparecido há uma semana no mar em Vila Nova de Gaia terminaram esta sexta-feira, sem sucesso, ao pôr-do-sol, revelou à Lusa o comandante da Capitania do Douro, Rui Lampreia.

Idoso carbonizado encontrado em Santa Maria da Feira

Um idoso foi encontrado morto já carbonizado em São João de Ver, no concelho de Santa Maria da Feira, avança o Correio da Manhã, citando fonte da GNR.