Doze dos 19 tripulantes do navio Greta K retirados após incêndio ao largo do Porto

Doze dos 19 tripulantes do navio Greta K retirados após incêndio ao largo do Porto
| Norte
Porto Canal/Agências

Doze dos 19 tripulantes do navio-tanque Greta K, que esta terça-feira se incendiou ao largo do Porto, já foram retirados, estando, pelas 19h04, a embarcação a ser rebocada para longe da costa, anunciou em comunicado a Marinha Portuguesa.

Na nota de imprensa, a Marinha assinala que o alerta foi dado cerca das 15h30 para o "Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo (MRCC) de Lisboa, da Marinha" para um "incêndio no navio-tanque Greta K, com bandeira de Malta, que se encontrava a navegar a cerca de uma milha e meia de costa, cerca de três quilómetros, junto à praia dos Ingleses, na Foz do Douro, com 19 pessoas a bordo, todas de nacionalidade filipina".

A Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), que tinha a bordo um piloto de barra no apoio ao navio que se dirigia para Leixões, conseguiu rapidamente colocar no local três navios-rebocadores a ajudar no combate ao incêndio. Também o Capitão do Porto do Douro e de Leixões empenhou duas embarcações da Estação Salva-vidas de Leixões, acrescenta a nota de imprensa.

"O incêndio continua ativo e 12 dos tripulantes foram resgatados por embarcações das Estações Salva-vidas de Leixões, da Póvoa de Varzim e do Comando-local da Polícia Marítima de Leixões. Os outros sete tripulantes mantiveram-se a bordo", assinala a Marinha.

O navio, que tem "a bordo gasóleo e combustível destinado a aviões (jet fuel) e não tem crude", está a ser "rebocado para uma zona afastada de costa", informa o comunicado.

Entretanto, a Marinha está a reforçar o material e as equipas de combate à poluição para a eventualidade de algum foco de poluição, enquanto o Instituto Hidrográfico, da Marinha, também se encontra a acompanhar a situação para a eventual necessidade de cálculo da deriva, em caso de foco de poluição, acrescenta o comunicado.

O comunicado não revela a existência de feridos.

+ notícias: Norte

Vai nascer uma “vila dentro da cidade” de Matosinhos

Está em discussão pública um projeto imobiliário da Mota-Engil que contempla a urbanização de 27 hectares entre Perafita e Santa Cruz do Bispo, em Matosinhos. O projeto de nome “OPO City” está, de acordo com o Jornal de Notícias, em discussão pública até oito de maio e contempla terrenos circunscritos a uma área composta pela Avenida Vasco Graça Moura, a Avenida Arquitecto Fernando Távora, a Rua Tir e a Estrada Nacional n.º 107.

Marco de Canaveses inaugura parque urbano com 14 mil metros quadrados

A Câmara de Marco de Canaveses, no distrito do Porto, vai inaugurar no dia 25 de abril um novo parque verde no centro da cidade, com 14.000 metros quadrados, informou hoje o município.

Jovem de 17 anos fica em prisão preventiva por cometer vários crimes em Chaves

Uma jovem de 17 anos ficou sujeita à medida de coação de prisão preventiva, sendo colocada em centro educativo em regime fechado, depois de detida pela PSP de Chaves por roubo, perseguição e ofensas à integridade física qualificada.