Apesar da contestação, paragens de autocarro “invertidas” no Porto são para continuar

Apesar da contestação, paragens de autocarro “invertidas” no Porto são para continuar
| Norte
Porto Canal

Foi quando a chuva começou a espreitar que se fizeram sentir, em massa, as críticas às novas paragens de autocarro, que estão a ser instaladas pela Câmara do Porto desde junho.

Algumas paragens estão de costas para a estrada, outras têm os bancos inclinados e, de acordo com os utilizadores, nenhuma abriga da chuva.

No entanto, apesar das contestações, a Câmara do Porto garantiu ao Porto Canal que a construção das paragens continua e está agora na sua segunda fase, que inclui, nomeadamente, a implementação de mupis, que dará mais abrigo aos utilizadores.

No mês passado, o Porto Canal foi ouvir os passageiros, que contestaram o novo modelo das paragens: “Para apanhar o autocarro não dá muito jeito. Estamos de costas, às vezes distraídos, e não conseguirmos ver o autocarro chegar”, relatou um utilizadores, referindo-se a uma das várias paragens que está construída de costas para o passeio.

Outro problema relatado pelos utilizadores é a pouca cobertura do telhado: “tem que se usar guarda-chuva na mesma. Nem se pode estar sentado, porque basta chover que os bancos ficam todos molhados. O telhado não protege nada”.

No total serão construídas 650 novas paragens de autocarro, que deverão estar instaladas até ao final do primeiro trimestre de 2023.

A instalação destes novos abrigos resulta da assinatura dos contratos de concessão de mobiliário urbano da Autarquia, em março de 2022. De acordo com a Câmara do Porto, os novos equipamentos "oferecem maior conforto para os utilizadores, mais luminosidade e estão dotados com tecnologias de informação e apoio aos utentes da rede de autocarros da cidade".

+ notícias: Norte

Rede de Turismo Industrial da região Porto e Norte conta com mais 15 pontos de visita

O Turismo do Porto e Norte alarga, na próxima segunda-feira, a mais 15 entidades da região a sua rede de Turismo Industrial, passando assim a incluir mais de 100 pontos de visita nessa oferta de museus, fábricas e outros equipamentos.

PS quer que Casa do Douro volte a ser associação pública e de inscrição obrigatória

O PS entregou, esta semana, no Parlamento, um projeto-lei que pretende trazer de novo a Casa do Douro para a esfera pública, atribuindo-lhe novas competências e inscrição obrigatória. Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) mostra-se contra a reinstitucionalização, pedindo uma organização forte e representativa dos produtores. 

Aumento de 7,9% da Águas da Região de Aveiro "em conformidade com o regulador"

A empresa Águas da Região de Aveiro (AdRA) esclareceu, esta sexta-feira, que o aumento em 7,9% do tarifário da água e saneamento para 2023 “está em conformidade com a Entidade Reguladora”.