Variante Delta volta a ser responsável por 100% das infeções

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 21 set 2021 (Lusa) -- A variante Delta do vírus SARS-CoV-2 voltou a ser responsável por todos os casos de infeção registados em Portugal, depois de a Gamma ter registado uma prevalência de 0,4% na semana anterior, anunciou hoje o INSA.

O relatório semanal da diversidade genética do novo coronavírus do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) indica que a variante Delta, originária da Índia e considerada mais transmissível, apresenta uma "frequência relativa de 100% na semana de 06 a 12 de setembro em todas as regiões" do país.

Segundo o documento, do total de sequências analisadas desta variante até à data, 66 apresentaram uma mutação adicional na proteína `spike´, uma sublinhagem conhecida por 'Delta Plus', mas não foram registados casos nas últimas semanas.

Relativamente à variante Gamma, associada ao Brasil, após três semanas sem ser detetada nas amostragens analisadas, foram registados dois casos não relacionados nas regiões do Alentejo e de Lisboa e Vale do Tejo na semana entre 30 de agosto e 05 de setembro, não tendo sido identificada na semana posterior.

A variante Alpha, originária do Reino Unido e que chegou a ser a prevalente em Portugal, deixou de estar em circulação nas últimas cinco semanas, referem ainda os dados do INSA.

A Delta, a Gamma, a Beta e a Alpha estão classificadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como variantes de preocupação (VOC -- Variant of Concern), por poderem ser mais transmissíveis, causar maior gravidade de doença ou possuírem características que permitem a evasão ao sistema imunitário, com potencial redução da eficácia das vacinas.

No âmbito da monitorização contínua da diversidade genética do SARS-CoV-2, tem sido analisada uma média de 552 sequências semanais desde o início de junho, provenientes de amostras colhidas aleatoriamente em laboratórios dos 18 distritos de Portugal continental e dos Açores e da Madeira, abrangendo uma média de 128 concelhos por semana.

Em junho, o instituto anunciou um reforço da vigilância das variantes do vírus que causa covid-19 em circulação em Portugal, através da sua monitorização em contínuo.

Segundo o INSA, esta estratégia permitiu uma melhor caracterização genética do SARS-CoV-2, uma vez que os dados são analisados continuamente, deixando de existir intervalos de tempo entre análises, que eram dedicados, essencialmente, a estudos específicos de caracterização genética solicitados pela saúde pública.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.914 pessoas e foram contabilizados 1.062.320 casos de infeção confirmados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

PC // ZO

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Humanidade trata a natureza “como uma casa de banho”, diz Guterres

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse esta terça-feira que a humanidade tornou-se uma “arma de extinção maciça” da natureza e que a trata “como uma casa de banho”.

Homem que roubou cães de Lady Gaga condenado a 21 anos de prisão

James Howard Jackson, de apenas 19 anos, foi condenado, esta terça-feira, a 21 anos de prisão por ter roubado os dois bulldogs franceses de Lady Gaga, em Los Angeles. Segundo avança a imprensa internacional, o jovem não contestou uma das acusações de tentativa de homicídio do homem que passeava os cães da cantora no momento em que foram roubados.

Indonésia aprova lei que pune com pena de prisão sexo fora do casamento

O parlamento da Indonésia, país com a maior população muçulmana do mundo, aprovou esta terça-feira uma revisão ao código penal que criminaliza e pune com pena de prisão o adultério e relações sexuais fora do casamento.