Covid-19: Portugal é décimo país da UE com menos novos casos diários

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 20 set 2021 (Lusa) - Portugal é o décimo país da União Europeia com menos novos casos diários (90) de infeção por SARS-CoV-2 por milhão de habitantes na última semana, segundo o 'site' estatístico Our World in Data.

Com 502 casos diários, a Eslovénia é o país-membro com a maior média neste indicador, seguida da Lituânia (397), Estónia (330), Croácia (282) e Letónia (257).

A média na União Europeia de novos casos diários por milhão de habitantes está em 108 e a mundial situa-se em 68.

No resto do mundo, entre os países com mais de um milhão de habitantes, a Sérvia está com a média diária de novos casos mais elevada (1.020), seguindo-se a República Dominicana (946), Israel (908) e Mongólia (867).

Em termos de média de mortes diárias atribuídas à covid-19, Portugal é o 17.º país da União, com 0,6 mortes por milhão de habitantes nos últimos sete dias.

Com 10,4 novas mortes por dia, a Bulgária é o estado-membro na posição cimeira deste indicador, seguida da Lituânia (5,5), Grécia (4)e Roménia (3,9).

Neste indicador, a média diária da União Europeia está em 1,23 e a mundial em 1,1.

Globalmente, a média diária de novas mortes mais elevada verifica-se nas Bahamas (18,3), Macedónia do Norte (13,7), Geórgia (12,7), Malásia (11,9).

APN // HB

Lusa/fim

+ notícias: País

Tribunal arbitral impõe serviços mínimos face às greves de professores

O Tribunal Arbitral já decidiu, esta sexta-feira, “por unanimidade, fixar serviços mínimos” nas escolas “face à imprevisibilidade das greves decretadas pelo Sindicato de Todos os Profissionais da Educação e consequências acumuladas para os alunos”.

TAP. Pilotos dizem que João Galamba acabou reunião de "forma inaudita"

O presidente do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) criticou, esta sexta-feira, a reunião da estrutura com o ministro das Infraestruturas, João Galamba, referindo que o governante saiu da mesma de "forma inaudita" e que ficaram "preocupadíssimos" com o dossier.

Boaventura gabava-se de guardar dinheiro de Vieira e ter muita influência no Benfica, alega o Ministério Público

César Boaventura, o principal arguido da ‘Operação Malapata’, é há muito um rosto conhecido na justiça portuguesa. Regularmente associado ao universo benfiquista, o empresário que apregoava uma vida de luxo e influência nas mais elevadas esferas desportivas poderá, no entanto, não passar de uma personagem “pouco verídica”.