Covid-19: Receita do jogo em Macau cai 90% em setembro

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Macau, China, 01 out 2020 (Lusa) -- As receitas do jogo em Macau caíram 90% em setembro, em relação a igual período de 2019, anunciou hoje a Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos (DICJ).

Os números apontam ainda que, nos primeiros nove meses do ano, as perdas dos casinos em relação ao ano anterior foram de 82,5%, um resultado devido ao impacto da pandemia de covid-19 e às fortes restrições nas fronteiras.

As operadoras que exploram o jogo na região administrativa especial chinesa arrecadaram, em setembro, 2,21 mil milhões de patacas (cerca de 235 milhões de euros) contra 22,07 mil milhões de patacas (2,3 mil milhões de euros) no mesmo mês do ano passado, adiantou.

Em termos de receita bruta acumulada, os casinos registaram em setembro 38,6 mil milhões de patacas (4,1 mil milhões de euros) contra 220,2 mil milhões de patacas (23,4 mil milhões de euros) no mesmo mês do ano passado.

De acordo com os mesmos dados, o mês de junho foi, até agora, o pior do ano, com os casinos a registarem uma queda de 97% das receitas, angariando apenas 716 milhões de patacas (cerca de 75 milhões de euros).

Em junho de 2019, a receita bruta foi de 23,8 mil milhões de patacas (2,48 mil milhões de euros).

Os casinos de Macau fecharam 2019 com receitas de 292,4 mil milhões de patacas (cerca de 31,1 mil milhões de euros).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 33,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

EJ (JMC) // MIM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Cimeira EUA-França. Fim da guerra na Ucrânia? Biden disposto a dialogar com Putin

Biden diz que está disposto a reunir-se com Putin, mas apenas se a Rússia estiver disposta a terminar o conflito. Os presidentes Joe Biden e Emmanuel Macron defenderam ainda a importância de uma aliança forte entre os dois países. 

Seis novos centros de combate à desinformação anunciados por Bruxelas

A Comissão Europeia anunciou esta quinta-feira a criação de seis novos centros multinacionais de combate à desinformação, que se somam aos oito já existentes, passando a cobrir todos os 27 países da União Europeia (UE).

COI congratula-se por ONU reconhecer neutralidade do movimento olímpico

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, congratulou-se esta quinta-feira com o reconhecimento, por parte da ONU, do "caráter unificador e conciliador" das grandes competições desportivas internacionais.