Covid-19: Reino Unido regista mais 649 mortes, ultrapassa 30 mil

| Mundo
Porto Canal com Lusa

(CORREÇÃO) Londres, 06 mai 2020 (Lusa) - O número de mortes no Reino Unido de pessoas infetadas durante a pandemia de covid-19 passou hoje para 30.076, mais 649 do que no dia anterior, informou hoje o ministro da Habitação e Comunidades, Robert Jenrick.

O número de infetados é atualmente de 201.101, tendo sido diagnosticados 6.111 nas últimas 24 horas, informou. 

Nos hospitais continuam internados 13.615 pessoas, menos 307 do que na terça-feira.

O Reino Unido é atualmente o país com maior número de mortes na Europa, depois de ter ultrapassado a Itália na terça-feira. 

O primeiro-ministro britânico disse hoje aos deputados na Câmara dos Comuns que ainda é muito cedo para fazer comparações internacionais da mortalidade, mas admitiu que "vai haver uma altura para analisar as decisões tomámos e se poderíamos ter tomado decisões diferentes".

Embora o número de mortes nos hospitais esteja em declínio, lares de idosos continuam a registar um número elevado de óbitos, algo que Boris Johnson reconheceu ser problemático. 

"Existe uma epidemia nos lares de idosos que é algo que eu lamento profundamente e que estamos a tentar travar há semanas", revelou na primeira intervenção no parlamento desde que foi diagnosticado com o novo coronavírus, que resultou na sua hospitalização.

O primeiro-ministro confirmou que vai anunciar no domingo um plano para o fim do confinamento em vigor desde 23 de março, com algumas medidas a entrarem em vigor no dia seguinte. 

Porém, a redução das restrições vai ser gradual, a fim de evitar um segundo pico de infeções.

(NOVA VERSÃO, PARA CORRIGIR NO 1.º PARÁGRAFO O NÚMERO TOTAL DE MORTOS QUE SAIU TRUNCADO)

BM // EL

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Eleições no Brasil. Analistas atribuem falha das sondagens a votos de Ciro e indecisos para Bolsonaro

Analistas ouvidos pela Lusa consideram que a discrepância das sondagens com a votação nas eleições presidenciais brasileiras resultou da transferência de votos de Ciro Gomes e de indecisos para Jair Bolsonaro.

Míssil balístico disparado pela Coreia do Norte deixa Japão em sobressalto

A Coreia do Norte disparou esta terça-feira um míssil balístico sobre o Japão, adiantou o gabinete do primeiro-ministro japonês, num teste que originou alertas para moradores e obrigou à suspensão da circulação ferroviária em regiões do nordeste.

Míssil norte-coreano terá "resposta robusta" dos EUA, Japão e Coreia do Sul

Os Estados Unidos estão a preparar com o Japão e a Coreia do Sul uma "resposta robusta" ao lançamento desta terça-feira de um míssil balístico norte-coreano sobre o Japão, afirmou a Casa Branca.