Covid-19: Tribunal Supremo suspende sessão de alegações finais do caso dos '500 milhões de dólares'

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Luanda, 24 mar 2020 (Lusa) -- O Tribunal Supremo suspendeu a sessão desta quarta-feira, em que estavam previstas as alegações finais, do julgamento do caso sobre a suposta transferência irregular de 500 milhões de dólares do Banco Nacional de Angola, devido à covid-19.

A informação foi hoje avançada à Lusa pela secretaria judicial do tribunal, salientando que está tudo suspenso até novas ordens.

"Julgamento, instrução contraditória, está tudo suspenso. O tribunal está a trabalhar a meio gás, só está a trabalhar uma pessoa por dia na câmara, estamos a cumprir a quarentena preventiva, por isso tudo o que envolva público, pessoas, está tudo suspenso", disse a fonte.

O tribunal tinha marcado para quarta-feira as alegações finais do julgamento em que são arguidos Valter Filipe, ex-governador do Banco Nacional de Angola (BNA), de José Filomeno dos Santos, ex-presidente do Fundo Soberano de Angola, de Jorge Gaudens Sebastião, empresário angolano, e de António Bule Manuel, diretor do departamento de gestão de reservas do BNA, que respondem pelos crimes de peculato, burla por defraudação, branqueamento de capitais e tráfico de influência.

NME // JH

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Suspeito de ataque em Copenhaga tem antecedentes psiquiátricos

O alegado autor de um tiroteio ocorrido no domingo em Copenhaga, que fez três mortos e quatro feridos graves, tem antecedentes de doença psiquiátrica, indicou hoje a polícia dinamarquesa, afirmando não haver indícios de "um ato terrorista".

Vários mortos em tiroteio na Dinamarca. Suspeito é dinamarquês e tem 22 anos

Várias pessoas morreram num tiroteio no centro comercial Field's, em Copenhaga, capital da Dinamarca, revelou a polícia. Uma pessoa foi detida.

Rússia anuncia controlo total da região ucraniana de Lugansk. Ucrânia desmente. 

O ministro da Defesa russo Serguei Shoigu afirmou hoje que as forças russas controlam toda a região ucraniana de Lugansk, no Donbass, depois de conquistada a cidade-chave de Lisichansk, alvo de combates intensos nos últimos dias.