Covid-19: Pico da curva epidémica pode ser um pouco depois de 14 de abril - Marcelo

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 24 mar 2020 (Lusa) - O Presidente da República afirmou hoje que se verifica "uma curva mais moderada" de propagação da covid-19 em Portugal e que o pico "pode ser um pouco depois de dia 14 de abril".

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas após ter participado numa sessão técnica sobre a situação epidemiológica da covid-19 em Portugal, a convite do primeiro-ministro, António Costa, no auditório do Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, em Lisboa.

Questionado se os especialistas mantêm a previsão de 14 de abril como data para o pico da curva epidemiológica em Portugal, o chefe de Estado ressalvou que "não é possível fazer previsões certas" e comparou a pandemia de covid-19 a "uma mola" que se está a tentar conter com "uma pressão muito firme".

"Tem havido, com este pressionar a mola, uma preocupação que é visível nos números: o crescimento ser menos exponencial, menos acentuado do que se esperava. Isto significa naturalmente que a pressão sobre o sistema de saúde é menor, o número de contaminados não tem crescido ao nível que se esperava e o pico pode deslocar-se", expôs.

"É uma curva mais moderada, e o tal pico, o tal momento de estabilização, que dura um certo tempo, pode ser um pouco depois de dia 14 de abril", acrescentou.

Segundo o Presidente da República, "os portugueses estão a fazer com que a curva não seja a curva de outros países, comparando o número não só de contaminados, mas de internados, e internados em cuidados intensivos, e também de mortos".

IEL // ACL

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Marcelo espera que obras no aeroporto arranquem antes do fim do seu mandato

O Presidente da República saudou este sábado a convergência entre Governo e PSD quanto ao método de decisão sobre a nova solução aeroportuária para a região de Lisboa, considerando que "é uma boa notícia".

Santos Silva alerta para o "absurdo" de pedir menos receita e mais despesa

O dirigente socialista Augusto Santos Silva considerou que se vive "um daqueles períodos absurdos" em que a direita reclama, ao mesmo tempo, menos receita e mais despesa ao Estado, avisando que os portugueses "não gostam de coisas absurdas".

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.