Covid-19: Covilhã cria linhas de apoio para grupos de risco

| País
Porto Canal com Lusa

Covilhã, Castelo Branco, 24 mar 2020 (Lusa) - A Câmara da Covilhã criou duas linhas de apoio destinadas a idosos, pessoas de risco e crianças com necessidades especiais para atenuar situações de eventual isolamento criadas pela pandemia da Covid-19, anunciou hoje aquela autarquia do distrito de Castelo Branco.

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, este município presidido por Vítor Pereira explica que foi criada uma linha de apoio de Psicologia Clínica e de Saúde, que está disponível através do contacto telefónico 275 330 645, e que "visa constituir uma primeira resposta em termos de acompanhamento e psicoterapia a idosos e pessoas em risco, relativamente a problemáticas de natureza pessoal e interpessoal, nomeadamente perturbações de ansiedade e de humor num momento de crise".

Segundo o referido, esta linha estará a cargo de Juliana Bastos de Oliveira, mestre em Psicologia Clínica e da Saúde, inscrita na Ordem dos Psicólogos Portugueses, que se disponibilizou para "colaborar de forma voluntária com o município neste importante instrumento de ajuda".

Foi igualmente criada a linha de apoio Terapia Ocupacional (275 330 644), que se destina "a crianças com necessidades específicas, com o objetivo essencial de prevenir e/ou compensar incapacidades/disfunções físicas, mentais ou outras, sujeitas a agravamentos derivados da elevada inatividade e do isolamento social".

No atendimento a esta linha estará Inês Pereira, terapeuta Ocupacional atualmente a exercer funções no Espaço dos Sentidos na Biblioteca Municipal, pós-graduada em Integração Sensorial e mestranda em Terapia Ocupacional - Saúde Mental.

Ambas as linhas de apoio estão disponíveis das 09:00 às 18:00, todos os dias úteis.

Citado na nota de imprensa, o presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira, refere que a criação destas linhas tem como propósito "atenuar os efeitos do isolamento social que o combate a esta pandemia obriga a manter".

O autarca identifica os idosos e as crianças com necessidades específicas, bem como as suas famílias, como "principais destinatários destas linhas, que poderão ser um importante instrumento para aumentar a qualidade de vida dos principais grupos de risco neste momento tão difícil".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19,já infetou mais de 345 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 15.100 morreram.

Em Portugal, há 23 mortes e 2.060 infeções confirmadas, segundo o balanço feito na segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde.

Dos infetados, 201 estão internados, 47 dos quais em unidades de cuidados intensivos.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

CYC // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Já são conhecidas as medidas de coação no caso de tráfico humano no Alentejo

O juiz Carlos Alexandre determinou que 23 dos arguidos, todos eles estrangeiros, ficam em prisão preventiva, outros oito que também ficaram com essa medida têm a possibilidade de passar a ter pulseira eletrónica em prisão domiciliária. Quatro portugueses saem em liberdade, mas ficam proibidos de contactos e com apresentações periódicas às autoridades.

Horários alargados em 176 centros de saúde a nível nacional

Quase duas centenas de centros de saúde estão já a funcionar em todo o país com horário alargado, disponível para consulta no portal do SNS, uma medida que visa diminuir a pressão sobre as urgências hospitalares.

Adão e Silva não vai ao Qatar "contra instâncias que dirigem o futebol mundial." As polémicas do ministro-adepto

Pedro Adão e Silva, em entrevista ao semanário Expresso, garante que não vai ao Mundial de 2022 mesmo que a Seleção Nacional chegue à final. O atual ministro da Cultura defende que o seu lugar no futebol “é no Estádio da Luz”.