Covid-19: Cabo Verde Airlines suspende voos para cidade brasileira de Porto Alegre

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Praia, 12 mar 2020 (Lusa) - A Cabo Verde Airlines vai suspender a partir de segunda-feira, por tempo indeterminado, a ligação entre a ilha do Sal e Porto Alegre, no Brasil, que tinha inaugurado em dezembro, face à evolução da pandemia de Covid-19.

Em comunicado divulgado hoje, a companhia, liderada desde março de 2019 por investidores islandeses, refere que "devido aos níveis alarmantes de disseminação e severidade" da pandemia de Covid-19, provocada por um novo coronavírus, "muitos países estão a impor proibições temporárias a viagens de entradas e saídas" de Estados "com grande número de infeções".

"A Cabo Verde Airlines irá suspender a rota Ilha do Sal -- Porto Alegre -- Ilha do Sal com efeitos a partir de 16 de março de 2020 e por período indeterminado. A Cabo Verde Airlines providenciará reembolso total aos clientes para todos os bilhetes vendidos para esta rota", afirma a companhia, em comunicado.

A transportadora aérea cabo-verdiana já tinha anunciado em 07 de março que a suspensão dos voos para Washington - também iniciados em dezembro - até 31 de maio, alegando a "procura de clientes significativamente reduzida", motivada por "preocupações globais de saúde relacionadas ao Covid-19".

Entretanto, a companhia foi afetada pela decisão do Governo cabo-verdiano de suspender, inicialmente por três semanas, até 20 de março, e prorrogada esta semana até 30 de abril, os voos de Itália, devido ao alastrar da pandemia, deixando por isso de voar para Milão e Roma.

A CVA também suspendeu, por tempo indefinido, desde 01 de março, os voos da rota entre a ilha do Sal e Salvador da Bahia, no Brasil, reestruturação justificada então com os novos destinos da companhia.

Além disso, a Lusa noticiou anteriormente que a companhia terminou com o voo direto entre Praia e Lisboa, cinco meses depois do lançamento, decisão que justificou com o objetivo de dinamizar o 'hub' na ilha do Sal.

A companhia anunciou em 2019 o reforço das ligações a Lisboa, a partir da Praia, com início em 30 de agosto, data da entrada ao serviço de um Boeing 737-300, além dos voos regulares que já garantia para a capital portuguesa a partir da ilha do Sal.

Contudo, conforme esclarecimento pedido pela Lusa à CVA, esta ligação regular foi terminada em 04 de fevereiro, mantendo-se apenas os voos para Lisboa apenas a partir do 'hub' do Sal.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.600 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 125 mil pessoas, com casos registados em cerca de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 78 casos confirmados.

A China registou nas últimas 24 horas 15 novos casos de infeção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), o número mais baixo desde que iniciou a contagem diária, em janeiro.

Até à meia-noite de quarta-feira (16:00 horas em Lisboa), o número de mortos na China continental, que exclui Macau e Hong Kong, subiu em 11, para 3.169. No total, o país soma 80.793 infetados.

Face ao avanço da pandemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 12.000 infetados e pelo menos 827 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

PVJ // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Madrid. Explosão na Embaixada da Ucrânia faz pelo menos um ferido

Uma carta bomba explodiu e fez pelo menos um ferido, ao início da tarde desta quarta-feira, na Embaixada da Ucrânia, em Madrid, avança a imprensa espanhola.

Multinacional de moda H&M vai cortar 1.500 postos de trabalho

A H&M anunciou esta quarta-feira que vai cortar 1.500 empregos devido à aplicação do plano de redução de custos, apresentado há dois meses, e ao aumento da eficiência, após a queda dos lucros ao encerrar o negócio na Rússia.

Uma nova esperança para doentes com Alzheimer. Medicamento experimental reduz 27% do declínio cognitivo

Um medicamento experimental contra a Doença de Alzheimer conseguiu atrasar o declínio cognitivo, de acordo com os resultados de ensaios clínicos. A comunidade médica fala em dia "histórico" e em nova esperança para combater a doença que provoca demência. O Lecanemab, nome do medicamento em causa, reduziu 27% o declínio mental dos doentes tratados com esta droga.