Covid-19: PSD apoia medidas, mesmo as menos simpáticas, e recusa aproveitamentos

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 mar 2020 (Lusa) -- O líder do PSD prometeu hoje apoiar o Governo nas medidas de respostas ao surto do Covid-19, mesmo que "não sejam simpáticas", por uma questão "de dever e interesse nacional" e recusou quaisquer aproveitamentos políticos.

Em declarações aos jornalistas, depois de uma reunião com o primeiro-ministro, António Costa, Rui Rio afirmou que é "dever" do PSD, pelo "interesse nacional", apoiar "todas as medidas que o Governo entenda necessárias, mesmo que não sejam medidas simpáticas".

O presidente dos sociais-democratas sublinhou até que é preferível "prevenir do que remediar, como diz o povo", e tomar "medidas mais além", de forma a evitar situações como a que é vivida em Itália.

"Estamos a viver uma situação de gravidade, eventualmente mais agrave do que aquilo que se pensava" inicialmente, afirmou ainda Rio, ladeado pelos deputados Adão Silva e Ricardo Baptista Leite.

Se sai ou não satisfeito da reunião, Rio evitou uma resposta direta, tal como não quis falar ao pormenor do que foi comunicado pelo Governo na reunião na Residência Oficial de São Bento, em Lisboa, e evitou qualquer posição crítica nesta fase.

"Não nos compete andar a procurar diferenças ou críticas relativamente ao Governo", afirmou, admitindo que "mesmo que haja alguma critica" a fazer, "ela pode ser feita pelo telefone ou pessoalmente".

E concluiu que este "não é momento para andar publicamente a aproveitar isso".

NS // ACL

Lusa/fim

+ notícias: Política

França disponível para "revisitar" interligações ibéricas de energia

O secretário de Estado português dos Assuntos Europeus, Tiago Antunes, obteve esta terça-feira da sua homóloga gaulesa disponibilidade para "revisitar" a questão das interligações ibéricas de energia, em encontro até ao final do ano com Portugal e Espanha.

Fim da propina para ensino de português no estrangeiro não passará no parlamento, afirma Paulo Pisco

Os pareceres do BE, PCP e PAN sobre a eliminação da propina para o ensino de português no estrangeiro foram esta terça-feira votados favoravelmente em comissão parlamentar, uma intenção que não passará no parlamento, segundo o deputado socialista Paulo Pisco.

MAI diz que novo plano de investimentos para forças de segurança é oportunidade para o país

O ministro da Administração Interna disse esta terça-feira que o novo plano de investimento em infraestruturas e equipamentos das forças de segurança até 2026 é “uma oportunidade” para o país e para a resolução dos problemas das polícias.