Info

Governo concede tolerância de ponto a 24 e 31 de Dezembro

Governo concede tolerância de ponto a 24 e 31 de Dezembro
| Política
Porto Canal com Lusa

O Governo vai conceder tolerância de ponto aos trabalhadores que exercem funções públicas no Estado, nos institutos públicos e nos serviços desconcentrados da administração central, nos dias 24 e 31 de dezembro de 2015.

De acordo com um resolução do Conselho de Ministros hoje publicada em Diário da República, o Governo decidiu conceder tolerância de ponto aos trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado, sejam eles centrais ou desconcentrados, e nos institutos públicos, nos dias 24 e 31 de dezembro de 2015.

"Determinar que se excetuam do disposto (...) os serviços e organismos que, por razões de interesse público, devam manter-se em funcionamento naquele período, em termos a definir pelo membro do Governo competente", pode ler-se na resolução.

O Governo indica ainda que, "sem prejuízo da continuidade e da qualidade do serviço a prestar, os dirigentes máximos dos serviços e organismos referidos no número anterior devem promover a equivalente dispensa do dever de assiduidade dos respetivos trabalhadores, em dia ou dias a fixar oportunamente".

O executivo justifica a decisão com a tradicional deslocação de muitas pessoas para fora dos seus locais de residência, "tendo em vista a realização de encontros familiares e que tem sido prática usual".

Na origem da decisão está ainda o facto de a tolerância de ponto nesta época ter ocorrido "invariavelmente ao longo dos anos".

+ notícias: Política

Orçamento do Estado chumbado. País vai a eleições

O parlamento 'chumbou' hoje a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) com os votos contra do PSD, BE, PCP, CDS-PP, PEV, Chega e IL.

Costa afirma que voto do BE, PCP e PEV ao lado da direita será uma derrota pessoal

O primeiro-ministro afirmou hoje que, se os partidos à esquerda do PS votarem ao lado da direita e chumbarem a proposta do Governo de Orçamento, será não apenas uma frustração, mas também uma derrota pessoal.

Rui Rio ataca Marcelo por causa de Rangel. "Não é minimamente aceitável"

O presidente do PSD disse hoje considerar "muito estranho" que o Presidente da República tenha recebido um candidato partidário e que, se o encontro serviu para falar de prazos eleitorais, discorda e "não é minimamente aceitável".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS