Info

Parlamento aprova programa especial de apoio social à ilha Terceira a propósito das Lajes

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 18 dez (Lusa) - O parlamento aprovou hoje por unanimidade a criação de um programa especial de apoio social para a ilha Terceira, nos Açores, na sequência da redução do contingente laboral na base das Lajes.

A iniciativa, da autoria do deputado do PCP na Assembleia Legislativa dos Açores, Aníbal Pires, foi aprovada por unanimidade no plenário de setembro do parlamento regional, e foi agora também aprovada na Assembleia da República para poder entrar em vigor com o Orçamento do Estado de 2016.

O objetivo do diploma é criar um "regime especial transitório" de majoração dos apoios sociais aos habitantes dos dois concelhos da ilha Terceira (Angra do Heroísmo e Praia da Vitória), onde está situada a base aérea norte-americana das Lajes.

Em janeiro, os Estados Unidos da América anunciaram a redução gradual de trabalhadores portugueses na base das Lajes de 900 para 400 pessoas ao longo deste ano, e de civis e militares norte-americanos de 650 para 165, permitindo uma poupança anual de 35 milhões de dólares (29,6 milhões de euros).

O parlamento aprovou hoje também por unanimidade duas propostas de lei ligadas à Região Autónoma da Madeira: uma pedindo uma estratégia nacional para a prevenção e controlo de epidemias da febre do dengue e uma outra reclamando a majoração da proteção social na maternidade, paternidade e adoção.

Já dois projetos de resolução - de BE e PCP - recomendando a construção urgente de um hospital no Seixal foram aprovados mas com a abstenção de PSD e CDS-PP contrastante com os pareceres favoráveis das restantes bancadas e do deputado do PAN.

PPF (RF) // ZO

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Orçamento do Estado chumbado. País vai a eleições

O parlamento 'chumbou' hoje a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) com os votos contra do PSD, BE, PCP, CDS-PP, PEV, Chega e IL.

Costa afirma que voto do BE, PCP e PEV ao lado da direita será uma derrota pessoal

O primeiro-ministro afirmou hoje que, se os partidos à esquerda do PS votarem ao lado da direita e chumbarem a proposta do Governo de Orçamento, será não apenas uma frustração, mas também uma derrota pessoal.

Rui Rio ataca Marcelo por causa de Rangel. "Não é minimamente aceitável"

O presidente do PSD disse hoje considerar "muito estranho" que o Presidente da República tenha recebido um candidato partidário e que, se o encontro serviu para falar de prazos eleitorais, discorda e "não é minimamente aceitável".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS