Operação Marquês: Serviços Prisionais não receberam pedido de prisão domiciliária de Vara

Operação Marquês: Serviços Prisionais não receberam pedido de prisão domiciliária de Vara
| País
Porto Canal (MPM)

O pedido de transferência Armando Vara para prisão domiciliária ainda não chegou aos Serviços Prisionais. Deverá acontecer esta semana, após a análise do juiz ao relatório dos serviços.

O Tribunal Central de Instrução Criminal ainda não enviou o pedido para que Armando Vara, que se encontra detido, possa cumprir a ordem de prisão domiciliária. Fonte da Direcção-Geral de Reinserção e Serviços Sociais (DGRSP), garantiu à agência Lusa que até à manhã desta segunda-feira, não tinha recebido o expediente do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC). Até ao final do dia será entregue um relatório dos serviços prisionais ao juiz, que após a sua análise, poderá dar a ordem para que Armando Vara seja colocado em prisão domiciliária, com vigilância electrónica.

Armando Vara, foi detido esta quinta-feira, indiciado pelos crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção passiva. O ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos e antigo ministro socialista, encontra-se agora no Estabelecimento Prisional Anexo à Polícia Judiciária, em Lisboa, enquanto aguarda autorização para regressar a casa, para cumprir a ordem de prisão domiciliária, decretada pelo juiz Carlos Alexandre na sexta-feira.

Tiago Bastos, advogado de Armando Vara discordou da medida de coacção aplicada pelo juiz, que considerou que existia perigo de perturbação do inquérito e também perigo de fuga, embora reduzido. O advogado do arguido alegou que Armando Vara tem, desde 2009, um contencioso com a justiça (processo Face Oculta) e nunca faltou a nenhum acto processual, "nem deixou de cumprir todas as suas obrigações".

A detenção foi realizada no âmbito da Operação Marquês, e tem em José Sócrates, antigo primeiro-ministro português, o mais mediático entre os nove arguidos do processo. Sócrates é, aliás, o único que se encontra em prisão preventiva, suspeito de fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais.

+ notícias: País

"O bardamerda do Seixas da Costa": do tiro a um camarada do Exército ao escândalo do Tua - as polémicas de um delfim do regime

Francisco Seixas da Costa foi condenado esta segunda-feira por difamar Sérgio Conceição. O antigo embaixador referiu-se ao técnico portista como “javardo”, na rede social Twitter, a 31 de março de 2019. Esta é apenas a última de muitas polémicas que envolveram Seixas da Costa.

Ministério ordena investigação ao caso de estudante favorecido para entrar em Medicina na Católica

Contactado pelo Porto Canal, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior afirmou que a admissão do aluno em Medicina, na Universidade Católica, por ser “descendente de beneméritos” da Instituição, está sob alçada da Inspeção-Geral da Educação e Ciência, que irá apurar a "legalidade da situação identificada". 

Sindicato dos Guardas prisionais acusa Direção-Geral de negar o direito à greve dos profissionais

A Direção-Geral dos Serviços Prisionais é acusado de forçar os guardas a cumprir os serviços mínimos negando o direito à greve.