Faixa colocada na Ponte Dona Maria Pia contra "32 anos de abandono"

Faixa colocada na Ponte Dona Maria Pia contra "32 anos de abandono"
| Porto
Porto Canal

Na manhã desta quarta-feira, membros da Associação Garra afixaram uma faixa na Ponte Dona Maria Pia, que liga o Porto a Vila Nova de Gaia, denunciando “os 32 anos de abandono” daquela infraestrutura.

A colocação da mensagem onde se lê "100 anos de Eiffel, 32 de abandono: até quando?" acontece no dia do centenário da morte de Gustavo Eiffel, autor da ponte que foi desativada em 1991. Recorde-se que desde 1992 a estrutura está classificada como Monumento Nacional.

Porto Canal

Há 32 anos que a ponte histórica espera soluções. Como o Porto Canal noticiou, o projeto de tornar clicável o Ramal da Alfândega, apresentado em 2020, incluía também esta ponte. Mas em abril deste ano, o Ministério das Infraestruturas informou que o futuro da ponte permanecia sem decisão e dependente da "análise conjunta" da Infraestruturas de Portugal (IP) e das câmaras do Porto e de Gaia, assegurou o Ministério das Infraestruturas.

A ponte centenária que liga Porto e Vila Nova de Gaia assinalou em novembro 146 anos da inauguração. O Jornal de Notícias avançou, à data do aniversário, que a promotora Margem a Margem, SA, que já tinha apresentado um projeto em 2018, apresentava agora um novo deixando de fora a adaptação do antigo ramal da Alfândega, já que o ramal está a ser alvo de um protocolo entre a Câmara do Porto e a IP.

O novo projeto da promotora centra-se na ponte e no acesso ao parque Maria Pia, em Vila Nova de Gaia. A reabilitação, escreveu o jornal, teria um custo “entre os três e os quatro milhões de euros”.

A IP – Infraestruturas Portugal, gestora da ponte, afirmou ao Porto Canal que não há nenhum projeto aprovado para esta ponte e que “com a adaptação e futura utilização da plataforma do Ramal da Alfandega será também avaliada a utilização da ponte” e que esta avaliação “terá que ser conjuntamente, além da IP, com a autarquia de Gaia e Porto”.

O estudo apresentado pela STCP Serviços não refere, contudo, a utilização desta ponte. Em resposta ao Porto Canal, a autarquia liderada por Rui Moreira explicou que “o projeto é apenas para o canal da Alfândega, uma vez que a competência do município é apenas para o canal e não para a ponte”, ressalvando que continuam “disponíveis para articular, com as demais entidades, uma futura solução para a referida ponte”.

Já a autarquia de Gaia informou o Porto Canal de que o que tem “dialogado com a Câmara do Porto, enquanto parceiros, e com a proprietária da ponte, a Infraestruturas de Portugal, em termos uma intervenção que recoloque a ponte e os cidadãos em contacto, nomeadamente com uma travessia que seria eminentemente pedonal”.

“Do lado de Gaia e do lado do Porto, estamos a fazer a nossa parte. Do lado da IP é preciso, também, que o Estado diga o que pretende e faça a sua parte, mas tem havido prioridades que se sobrepõem à ponte Maria Pia”, ressalvou o município liderado por Eduardo Vítor Rodrigues.

Alfândega, avança o Jornal de Notícias, já que o ramal está a ser alvo de um protocolo entre a Câmara do Porto e a IP.

O novo projeto da promotora centra-se agora na ponte e no acesso ao parque Maria Pia, em Vila Nova de Gaia. A reabilitação terá um custo “entre os três e os quatro milhões de euros”, afirma o responsável pela empresa, Anjos Pereira, ao jornal, acrescentando que os investidores “têm capital suficiente” para viabilizar o projeto.

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 

Uma publicação partilhada por Porto Canal (@porto.canal)

+ notícias: Porto

Linha Amarela da Metro do Porto condicionada até junho na Ponte Luís I

A operação da Linha Amarela da Metro do Porto, que liga o Hospital S. João a Santo Ovídio, estará condicionada até o segundo dia de junho, para trabalhos de manutenção na Ponte Luís I, confirmou fonte da empresa ao Porto Canal. Contudo, a intervenção na travessia não gera transtornos em horários de pico da operação, uma vez que esta decorre em horário noturno.

Incêndio em colégio no Porto já está extinto

O incêndio que deflagrou ao início da tarde de deste domingo no Colégio Flori, no Porto, "já está extinto" e em fase de rescaldo e ventilação, adiantaram ao Porto Canal as autoridades.

Last Folio: as duras memórias do Holocausto 

O Museu e Igreja da Misericórdia do Porto acolhem a exposição internacional LAST FOLIO acompanhada por um documentário, que mostra as memórias do Holocausto. A exposição do fotógrafo Yuri Dojc e da cineasta Katya Krausova, pode ser visitada até novembro.