Metro do Porto aponta concurso público da Linha Rubi para maio para evitar que fique "deserto"

| Norte
Porto Canal / Agências

O presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, disse esta quinta-feira que a empresa poderá lançar o concurso público da Linha Rubi em maio para evitar que fique deserto, enquanto ainda ultima os preparativos do procedimento e do projeto.

"Não temos o dia, será anunciado muito brevemente. Mas eu reafirmo que [será] no final de abril, início de maio... nós estamos a ultimar aquilo que já tive oportunidade de dizer. Estamos na fase de revisão do projeto", disse à Lusa Tiago Braga, numa visita às obras da extensão da Linha Amarela, entre Santo Ovídio e Vila d'Este, em Vila Nova de Gaia.

Segundo Tiago Braga, "um projeto da magnitude da Linha Rubi, que envolve uma ponte, dois viadutos muito significativos, três quilómetros de túnel, estações à superfície e enterradas" implica cuidados quanto ao procedimento concursal.

"Não queremos correr o risco de lançarmos o concurso e do concurso ficar deserto, como tem acontecido um pouco por todo o lado", disse à Lusa o responsável da Metro do Porto.

Em Gaia, as estações previstas para a Linha Rubi são Santo Ovídio, Soares dos Reis, Devesas, Rotunda, Candal e Arrábida, e no Porto Campo Alegre e Casa da Música, estando prevista a construção de uma nova ponte sobre o rio Douro.

Segundo o responsável, a revisão está "na fase final de preparação das peças do concurso", mais concretamente no projeto de execução "quer da linha quer da ponte", reconhecendo que "está a demorar um pouco mais" do que o inicialmente previsto (17 de março ou o final daquele mês).

"Provavelmente, se calhar, damos menos tempo, ou [podemos] manter o tempo e poder arrastar um bocadinho, um ou dois meses, o início da obra, mas com a certeza absoluta que não damos passos em falso, porque isso era o pior que nos podia acontecer", disse hoje à Lusa Tiago Braga.

Quanto à componente de revisão do projeto em termos de preço, inicialmente calculado em 299 milhões de euros (financiados a fundo perdido pelo Plano de Recuperação e Resiliência) Tiago Braga não quis adiantar nenhum valor à Lusa.

Questionado sobre se o mesmo poderia rondar os 100 milhões de euros, o responsável da Metro respondeu que, com "o número dos 100 é fácil de fazer a conta, porque toda a gente fala que a revisão de preços são 30%".

"Esse é um número que quando se fala aparece sempre. Não lhe quero dizer se são 100 milhões, se são 95 ou se são 105. Em termos de ordem de grandeza, não estamos a falar num projeto que, de repente, passa para os 500 ou 600 milhões. Não é nada disso", assegurou o presidente da Metro do Porto.

Já relatiavamente aos acordos para indemnizações aos moradores da zona de Santo Ovídio, em Vila Nova de Gaia, que irão ficar sem as suas casas para a construção da futura estação da Linha Rubi, o responsável da Metro disse que já chegou a acordo com "uma percentagem muito significativa" dos proprietários.

"Já chegámos a acordo. Não lhe consigo dizer se já chegámos a acordo com todos, mas temos uma percentagem muito significativa de proprietários com os quais já chegámos a acordo", afirmou.

Mais tarde, disse que essa percentagem corresponde a uma "esmagadora maioria" dos moradores e que a Metro irá chegar a acordo em "todas as outras situações" que surjam.

+ notícias: Norte

Coimbra apela aos munícipes para não estacionarem abusivamente

O presidente da Câmara de Coimbra, José Manuel Silva, apelou esta sexta-feira aos munícipes para cumprirem o Código da Estrada e para não estacionarem veículos abusivamente, depois de a Polícia Municipal ter elaborado quase mil autos em duas semanas.

Incêndio deflagra em moradia em Gaia após curto circuito causado por equipamento ligado há várias horas

Um incêndio deflagrou, na noite desta sexta-feira, numa moradia na Rua das Matas, em Santa Marinha, Gaia, devido a um curto circuito. As chamas começaram numa zona de arrumações, onde funcionaria uma lavandaria e onde estavam equipamentos ligados que sobreaqueceram. Não houve feridos a registar, mas dois elementos da corporação de bombeiros foram socorridos no local por exaustão.

Obras no túnel da Avenida em Braga provocam corte de trânsito por mais de uma semana

O troço poente, do lado do Palácio do Raio, contíguo ao túnel da Avenida, em Braga, vai estar cortado a partir de quarta-feira e por um período de pelo menos 10 dias, foi anunciado esta quinta-feira.