Mais uma baixa na administração da TAP. Silvia Mosquera Gonzalez renuncia ao cargo

Mais uma baixa na administração da TAP. Silvia Mosquera Gonzalez renuncia ao cargo
| País
Porto Canal

Silvia Mosquera Gonzalez renunciou ao cargo de vogal do Conselho de Administração e vogal da Comissão Executiva da TAP. Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a companhia aérea portuguesa refere que “nos termos referida renúncia, a mesma produzirá efeitos no dia 23 de junho de 2023”.

“Por carta dirigida à Sociedade, datada da presente data, a Exma. Senhora Silvia Mosquera Gonzalez apresentou renúncia ao cargo de vogal do Conselho de Administração e vogal da Comissão Executiva da TAP. Nos termos da referida renúncia, a mesma produzirá efeitos no dia 23 de junho de 2023“, pode ler-se no comunicado divulgado esta terça-feira.

De salientar que a renúncia ao cargo foi feita no mesmo dia em que a companhia aérea de bandeira portuguesa apresentou os lucros referentes ao ano passado. A companhia aérea encerrou o ano 2022 com um lucro líquido de 65,6 milhões de euros, um aumento de 1664,7 milhões de euros em relação ao ano anterior.

+ notícias: País

Sindicato dos guardas prisionais prepara queixa-crime contra líder de associação de apoio aos reclusos

O Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP) vai processar o secretário-geral da Associação Portuguesa de Apoio ao Recluso (APAR), Vítor Ilharco, após este criticar a alegada proteção de alguns sindicatos a situações de agressões a reclusos.

FC Porto vai ter jogo difícil frente a Belenenses moralizado afirma Paulo Fonseca

O treinador do FC Porto, Paulo Fonseca, disse hoje que espera um jogo difícil em casa do Belenenses, para a 9.ª jornada da Liga de futebol, dado que clube "vem de uma série de resultados positivos".

Proteção Civil desconhece outras vítimas fora da lista das 64 de acordo com os critérios definidos para registar os mortos dos incêndios na região centro

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) disse hoje desconhecer a existência de qualquer vítima, além das 64 confirmadas pelas autoridades, que encaixe nos critérios definidos para registar os mortos dos incêndios na região centro.