Maioria dos reformados terão aumento de 4,83% em janeiro

Maioria dos reformados terão aumento de 4,83% em janeiro
| Economia
Porto Canal

Os aumentos das pensões de reforma em janeiro já estavam fixados, mas a inflação medida até novembro e os números do PIB do terceiro trimestre vão forçar o Governo a rever os valores. A esmagadora maioria dos pensionistas, com reformas até 957 euros, sensivelmente, verá a pensão crescer 4,83% no início de 2023. São algumas décimas além do que estava antecipado, e alguns euros mais no bolso ao fim do mês.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), a economia este ano está a crescer acima do esperado, e os preços também estão a disparar para lá do que se antecipava. Conjugados os dois efeitos, a fórmula que o Governo usou há uns meses para calcular a atualização das pensões no início do próximo ano rapidamente ficou desatualizada.

Em setembro, o Governo garantiu que pagaria aos reformados exatamente o mesmo valor que resulta da lei, mas de forma fracionada. As pensões mais baixas receberiam um aumento total de 8%. Este valor, dividido em duas parcelas (o suplemento extraordinário de outubro e a atualização em janeiro) ditaria uma atualização de 4,43% no próximo mês.

As pensões intermédias receberiam mais 7,6%, 4,07% dos quais em janeiro. E as pensões acima de seis vezes o indexante de apoios sociais (sensivelmente 2800 euros brutos), teriam um aumento global de 7,1%, 3,1% dos quais em janeiro.

Acontece que, com a inflação e o PIB a crescerem mais do que aquilo que seria previsto, os 8% de aumento para as pensões mais baixas revelam-se desatualizados. Seguindo a regra à risca, em vez dos 8% totais, o aumento deve ser de 8,4% para a maioria das pensões. Como uma parte já foi antecipada em outubro, em janeiro a subida (para a esmagadora maioria das pensões) deve ser de 4,83%, e não de 4,43% como estava previsto. 

Por exemplo, um pensionista com uma reforma de 500 euros, vai receber mais 24,25 euros por mês em janeiro. São mais 2 euros por mês face ao que estava previsto.

+ notícias: Economia

Taxa Euribor a seis meses volta a cair para novo mínimo

A taxa Euribor subiu esta sexta-feira a três e a 12 meses e desceu a seis meses para um novo mínimo desde 13 de junho do ano passado.

Já é conhecida a chave do Euromilhões desta sexta-feira

Já são conhecidos os números que compõem a combinação vencedora do Euromilhões desta sexta-feira.

Pacote medidas para os jovens vai custar cerca de 1,3 mil milhões de euros em dois anos

As medidas para a juventude apresentadas esta quinta-feira pelo Governo têm um impacto financeiro global estimado de pelo menos 1.262,3 milhões de euros entre 2024 e 2025, com a fatura a ser mais elevada no próximo ano, segundo cálculos da Lusa.