Pensionistas perdem 471 euros por mês em relação ao último salário

Pensionistas perdem 471 euros por mês em relação ao último salário
| País
Porto Canal

Segundo as respostas dadas por reformados portugueses, entre os 65 e 84 anos, a um inquérito realizado pela Deco Proteste, publicado esta terça-feira, cada pensionista está a perder cerca de 471 euros por mês ou 6594 euros anuais face ao valor do último salário.

De acordo com o mesmo estudo, esta realidade aplica-se a quase 43% dos aposentados, onde a única fonte de rendimento é a pensão legal paga pelo Estado, através via Segurança Social, no caso do setor privado, ou Caixa Geral das Aposentações, através da Função Pública.

Tal como refere o estudo, mais de 61% dos portugueses, entre os 25 e os 65 anos, não está a poupar para reforma. A justificação apresentada pelos inquiridos deve-se principalmente à perda de rendimentos.

No entanto, quase um terço que responderam ao estudo da Deco Proteste têm em vista vir a receber como pensão entre 50% e 75% do último salário. Cerca de um quarto dos inquiridos acredita que pode mesmo chegar a receber 75% e 100%.

+ notícias: País

Presidente da TAP chamado à AR para explicar prejuízos trimestrais

O presidente da TAP, Luís Rodrigues, vai ser chamado ao parlamento para prestar esclarecimentos sobre os prejuízos do primeiro trimestre, no seguimento da aprovação por unanimidade de requerimentos apresentados pelos grupos parlamentares do Chega e do PSD.

Até os patos viraram o pescoço para ver o meteoro passar

O meteoro que pintou de azul e verde os céus de Portugal e Espanha ao final da noite do último sábado, dia 18 de maio, não impressionou só os humanos que o viram. Uma transmissão na plataforma de streaming Twitch mostrou a reação de um grupo de patos à passagem do clarão nos céus.

BE pede a legalização automática de todos os imigrantes com um ano de descontos

O Bloco de Esquerda pediu esta quarta-feira, ao governo a regularização automática de todos os imigrantes que tenham um ano de descontos na Segurança Social e criticou o modo como é gerida a agência acompanha as migrações.