Deslizamento de terras em Esposende provocou danos em duas habitações

Deslizamento de terras em Esposende provocou danos em duas habitações
| Norte
Porto Canal / Agências

O deslizamento de terras registado na madrugada desta quarta-feira em Palmeira de Faro, Esposende, provocou danos em duas habitações, cujos moradores foram realojados em casa de familiares, esclareceu fonte da Proteção Civil.

Em declarações à Lusa, o 2.º comandante distrital de operações e socorro, Rui Costa, acrescentou que também os moradores de outras três habitações existentes naquele local foram informados do risco de novos deslizamentos e aconselhados a não pernoitarem nas suas casas.

"Também eles deverão ser realojados em casa de familiares", acrescentou.

Um deslizamento de terra e de pedras de grandes dimensões em Palmeira de Faro, Esposende, matou dois jovens, ambos de 22 anos, que se encontravam habitação unifamiliar, conjuntamente com mais quatro pessoas.

Estas quatro pessoas, entre as quais uma bebé de dois anos, escaparam ilesas.

Na outra habitação atingida, estava apenas uma pessoa, que não sofreu qualquer ferimento.

O alerta para o deslizamento de terras foi dado pelas 03h55.

Nas operações de socorro estiveram envolvidos elementos dos bombeiros, do INEM, da GNR, do Serviço Municipal de Proteção Civil/Câmara Municipal de Esposende, da Polícia Judiciária e técnicos da Universidade do Minho, num total de 43 operacionais, apoiados por 23 veículos.

+ notícias: Norte

Sim! A população quer a desagregação de Seixezelo e Pedroso em Gaia

A vitória do sim foi expressiva ao conseguir 597 votos. Os nãos estiveram perto da centena, conseguindo 96 no total. No total votaram 697 pessoas e houve dois votos em branco e dois nulos.

“Sem modelo regional, o país continuará em plano inclinado” defende António Cunha

O Fórum Autárquico da Região Norte, que decorreu na passada sexta-feira, em Viana do Castelo, ficou marcado pelo tema da regionalização.

Centro de alojamento temporário da Cruz Vermelha em Braga mantém-se a funcionar

Depois das ameaças de encerramento, o centro de alojamento temporário da Cruz Vermelha de Braga vai continuar operações.