Executivo do Porto vota suspender novos registos de AL no centro histórico e Bonfim

Executivo do Porto vota suspender novos registos de AL no centro histórico e Bonfim
| Porto
Porto Canal / Agências

O executivo da Câmara do Porto vota sexta-feira suspender a autorização de novos registos de alojamento local (AL) nas freguesias do centro histórico e Bonfim com "efeitos imediatos" e por um período de seis meses.

Na proposta, a que a Lusa teve esta terça-feira acesso, o vereador com o pelouro da Economia da Câmara do Porto, Ricardo Valente, salienta que é "chegado o momento de implementar áreas de contenção ao crescimento do alojamento".

Nesse sentido, o executivo vota na reunião privada de sexta-feira, suspender a autorização de novos registos de estabelecimentos de alojamento local na União de Freguesias de Cedofeita, St. Ildefonso, Sé, Miragaia, S. Nicolau, Vitória e na Freguesia do Bonfim "com efeitos imediatos".

A suspensão vigorará por um período de seis meses, "prorrogável por igual período, ou, em alternativa, se esta ocorrer primeiro, até à entrada em vigor do regulamento".

De acordo com o vereador, o município pretende "num futuro próximo, aprovar um Regulamento Municipal para o Crescimento Sustentável do Alojamento Local".

"Apesar da situação verificada do alojamento local no Porto estar longe de representar uma ameaça, comparativamente com outras cidades europeias, exige-se a construção de novas soluções capazes de acompanhar a evolução do setor, com vista a um crescimento sustentável e equilibrado", lê-se no documento.

Ricardo Valente salienta ainda que no Registo Nacional de Alojamento Local do Turismo de Portugal constam mais de 9.200 estabelecimentos na cidade do Porto, com as freguesias do centro histórico e do Bonfim a concentrarem 86,99% da oferta total da cidade.

Na proposta, o vereador destaca, no entanto, que o anúncio da criação de normas regulatórias para o setor, em concreto, áreas de contenção, pode "levar à alteração das circunstâncias e das condições de facto existentes, comprometendo desta forma a eficácia do regulamento municipal que venha a ser criado", notando que foram submetidos mais de 700 pedidos de AL entre o ínicio do procedimento e a suspensão de novos pedidos em 2019.

Hoje, à margem da apresentação da iniciativa "Greater Porto" na Expo Real, em Munique (Alemanha), Ricardo Valente garantiu aos jornalistas que o alojamento local tem de ter "regras".

"Temos de ter regras. Essas regras têm de ser inteligentes, têm de permitir que os negócios continuem a florescer e é isso que queremos fazer na cidade do Porto", referiu, acrescentando que "o Porto nunca se vai transformar numa cidade de turistas".

Depois de votada pelo executivo, a suspensão de novos registos de alojamento local nas duas freguesias será discutida na segunda-feira pela Assembleia Municipal do Porto.

Em abril, oexecutivo da Câmara do Porto aprovou, por unanimidade, uma proposta do PS e outra do BE para avançar com a regulação do Alojamento Local e com a criação de zonas de contenção na cidade.

O projeto de Regulamento do Alojamento Local foi aprovado no dia 15 de julho de 2019, em sessão extraordinária da Assembleia Municipal, e entrou em vigor no dia 24 do mesmo mês, depois de ter sido publicado o edital que decretou a suspensão de novos registos de alojamento local em áreas de contenção.

À data da publicação, o município referia, em comunicado na sua página oficial, que a suspensão se aplicava em zonas de contenção, "maioritariamente localizadas no Centro Histórico e, em menor grau, na freguesia do Bonfim".

Em abril de 2020, a Câmara do Porto aprovou por maioria, com os votos contra do PS e da CDU e a abstenção do PSD, a revogação do projeto de Regulamento do Alojamento Local e da suspensão da autorização de novos registos.

À época, a decisão foi justificada com as alterações das circunstâncias causadas pela crise pandémica.

Em maio desse ano, também a Assembleia Municipal do Porto aprovou, com os votos contra do PS, BE, CDU, PAN e a abstenção do PSD, a proposta de revogação.

+ notícias: Porto

Há crateras a nascer no centro do Porto. O que são?

Na sabedoria popular diz-se que se furarmos um poço sem fim, vamos parar à China. No outro lado do mundo. No Porto há vários poços, ou buracos, que neste momento criam a ilusão de infinito para quem olha para eles.

Modelo de organização das maternidades. Pizarro tem “absoluta confiança no trabalho da direção executiva do SNS"

O ministro da Saúde, Manuel Pizarro, inaugurou, esta sexta-feira, as novas instalações do Centro de Mama do Centro Hospitalar Universitário de São João. Já depois da inauguração, Manuel Pizarro salientou que Portugal tem um enorme sucesso no que diz respeito ao tratamento do cancro da mama. “Em 2022, atingimos 98% das pessoas que foram convocadas vieram ao rastreio”, frisou o ministro a cargo da pasta da Saúde.

Novo regulamento da Movida do Porto entra em vigor em março

O novo Regulamento da Movida do Porto, que delimita zonas e impõe restrições de horários a estabelecimentos, publicado esta sexta-feira em Diário da República, entra em vigor no dia um de março, dando dois meses aos proprietários para se adaptarem.