Fernando Araújo negoceia condições: estrutura dirigente do SNS pode ficar no Porto

Fernando Araújo negoceia condições: estrutura dirigente do SNS pode ficar no Porto
| País
Porto Canal

O atual presidente do Hospital de São João ainda não aceitou o convite do primeiro-ministro para liderar a nova estrutura do Serviço Nacional de Saúde. Segundo apurou o Porto Canal junto de fonte próxima do Ministério da Saúde, Fernando Araújo tem o ‘sim’ preso por “condições”, sendo a mais importante a vontade expressa de que o núcleo duro da direção do SNS trabalhe a partir da cidade do Porto.

Para já, nada é oficial. O Ministério da Saúde recusa comentar diretamente a escolha de Fernando Araújo para diretor-executivo do Serviço Nacional de Saúde, o gabinete do primeiro-ministro está “indisponível” para declarações oficiais, e o próprio Hospital de São João mostra-se intransigente: não há “qualquer comentário nesta fase”.

Mas a notícia da nomeação do médico do Porto tem sido confirmada um pouco por todo o lado. Primeiro foi o Expresso, na manhã de terça-feira, a anunciar a despedida de Fernando Araújo do cargo de presidente do Conselho de Administração de Centro Hospitalar de São João, ao mesmo tempo que abandonava o espaço de opinião semanal que mantinha no Jornal de Notícias. Depois, foi a SIC Notícias a adiantar que a escolha veio da parte do próprio António Costa. Durante a tarde, o Porto Canal confirmou que o convite chegou mesmo a Fernando Araújo, mas o médico ainda não aceitou a proposta.

Porto Canal

O compasso de espera existe, porque a notícia da nomeação de Araújo furou o código de silêncio imposto pelo Governo. António Costa já tinha referido, no início da semana, que o cargo de diretor-executivo ainda não existia oficialmente, e que era preciso esperar por Marcelo Rebelo de Sousa: “O diploma está em Belém para o senhor Presidente da República apreciar. O senhor Presidente da República pode vetá-lo, pode pedir a fiscalização da constitucionalidade ou pode promulgá-lo. Quando o senhor Presidente promulgar o diploma — assim espero que aconteça — nós designaremos o ou a diretora executiva do SNS”.

A notícia dada pelo Expresso mereceu, numa primeira fase, a negação efusiva por parte dos membros do Governo. Ao Porto Canal, o ministro da Saúde falou mesmo de uma “extrapolação abusiva” e que Fernando Araújo não ia ser diretor-executivo “só porque vai deixar de escrever para o JN”. Neste momento, a escolha do presidente do São João é já uma evidência.

Por parte de Marcelo Rebelo de Sousa, ainda não existe data para a aprovação do estatuto do SNS. Neste domingo numa visita à Feira do Livro, em Lisboa, o Presidente da República dizia que o diploma estava no “bom caminho”, e que haveria uma decisão “até ao fim da semana”.

 

+ notícias: País

Internamentos e óbitos causados pela gripe estão subnotificados

Os casos de internamentos por gripe em Portugal estão subnotificados, assim como as mortes causadas pela doença, segundo um estudo que analisou durante uma década o peso das hospitalizações e da mortalidade provocada pela gripe.

D. José Ornelas: "Os padres não são uma cambada de pedófilos"

D. José Ornelas garante que não protegeu nenhum abusador de crianças. O alegado encobrimento remete para um caso de 2011 de um alegado abuso de menores num orfanato, em Moçambique. A afirmação do bispo de Leiria-Fátima surge depois do Ministério Público ter confirmado que D. José Ornelas está a ser investigado.

Pilotos dizem que se TAP tem dinheiro para comprar BMW, tem dinheiro para repor condições laborais

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil sugeriu esta quarta-feira à TAP a mesma lógica de “gastar-mais, para poupar”, com que a companhia se defendeu sobre a renovação da frota automóvel corporativa, para a reposição das condições laborais dos trabalhadores.