Easyjet lança o caos ao cortar milhares de voos no verão no mesmo mês que garantiu os 18 'slots' da TAP no aeroporto de Lisboa

Easyjet lança o caos ao cortar milhares de voos no verão no mesmo mês que garantiu os 18 'slots' da TAP no aeroporto de Lisboa
| Economia
Porto Canal

A companhia aérea Easyjet está a cancelar milhares de voos nos meses de verão devido às fortes restrições que se fazem sentir nos aeroportos de Gatwick, no reino Unido, e de Amesterdão, nos Países Baixos. Está estimado o cancelamento de mais de quatro mil voos em já em junho e o dobro nos meses de julho, agosto e setembro.

Esta medida decorre no mesmo mês em que a companhia aérea britânica foi considerada "mais fiável" pela Comissão Europeia e garantiu os 18 'slots' da TAP no aeroporto de Lisboa.

"Haverá um custo do impacto" destas medidas, alerta a companhia aérea de baixo custo britânica em comunicado, sem avançar mais detalhes, mas acrescentando que as perspetivas a médio prazo continuam "atrativas".

A easyJet destaca que as reservas continuam "fortes", estando as do quarto trimestre do exercício (que termina em 30 de setembro) já no nível pré-pandémico de 2019.

As perspetivas da transportadora britânica para o terceiro trimestre, que termina em 30 de junho, apontam agora para uma capacidade de transporte de 87% face aos níveis do exercício de 2019, contra os 90% previstos até agora.

Tal representa um total de 140.000 voos, 22 milhões de passageiros e 550% da capacidade face ao mesmo período do exercício de 2021, quando as restrições ligadas à pandemia ainda paralisavam a maior parte do tráfego aéreo.

Já no quarto trimestre, de julho a setembro, a capacidade de transporte deverá ficar em torno de 90% do nível do exercício de 2019, contra os 97% até agora previstos.

No comunicado, a easyJet explica que, devido à retoma "sem precedentes" do tráfego aéreo no primeiro semestre de 2022, após o levantamento das restrições sanitárias, "a aviação na Europa enfrenta dificuldades operacionais" que incluem "atrasos no controlo do tráfego e falta de pessoal" nos aeroportos, o que tem levado a sucessivos atrasos e a cancelamentos de voos.

"Um mercado de trabalho muito pressionado em todo o setor, incluindo a tripulação de cabine, e o tempo cada vez maior para verificar as identidades" dos candidatos a empregos na aviação estão a dificultar os esforços para acelerar a oferta, acrescenta.

"Isto reflete-se nos limites de voos anunciados recentemente em dois dos nossos maiores aeroportos, Gatwick, em Londres, e Amesterdão", sublinha.

O aeroporto de Gatwick anunciou na sexta-feira que estava a limitar o número de voos diários em julho e agosto para evitar uma repetição do caos registado nos aeroportos nas últimas semanas.

A Easyjet acredita que poderá transportar a maior parte dos passageiros afetados pelos cancelamentos em voos alternativos, "muitos no mesmo dia da reserva original", e promete avisar os clientes com antecedência.

Atualizado 20-06-2022 12:06

+ notícias: Economia

Tribunal de Contas atento ao acolhimento das recomendações

O presidente do Tribunal de Contas, José Tavares, afirmou que o Tribunal “continuará ativo” em relação ao Novo Banco nomeadamente ao nível da aplicação das recomendações formuladas nas auditorias.

Inspeção-Geral de Finanças já deu parecer positivo a pagamento da 2.ª tranche

A Inspeção-Geral das Finanças deu parecer positivo ao pagamento da segunda tranche do Plano de Recuperação e Resiliência, no valor de cerca de dois mil milhões de euros, seguindo agora o pedido de Portugal para Bruxelas.

Euribor volta a subir para novos máximos a três, seis e 12 meses

As taxas Euribor voltaram esta terça-feira a subir a três, a seis e a 12 meses para novos máximos em mais de 10 anos.