Covid-19: Sindicato de enfermeiros mantém greve de cinco dias apesar da pandemia

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 30 out 2020 (Lusa) -- O Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor) avançou hoje que vai manter a greve marcada entre os dias 09 e 13 de novembro, apesar da pandemia de covid-10 estarem em níveis máximos em Portugal.

"Mantemos a intenção da greve, obviamente que vai haver constrangimentos, mas pretendemos que sejam os mais limitados possíveis, nomeadamente no combate à pandemia de covid-19", disse aos jornalistas Jorge Correia, do Sindepor, no final de uma audiência com o Presidente da República.

Jorge Correia sublinhou que a paralisação de cinco dias "é mais do que uma greve, é um grito de alerta", porque os enfermeiros "estão cansados, exaustos e desmotivados" e se há um consenso por parte da sociedade e dos partidos políticas sobre a importância dos profissionais de saúde "é essencial que isso se concretize em medidas".

"Nós precisamos do apoio da população neste momento. Essa questão, se vai haver ou não greve em tempo de pandemia, é uma questão que se tem de colocar à ministra da Saúde e ao primeiro ministro", frisou, referindo que o Sindepor está aberto ao diálogo e às negociações, mas há situações que neste momento não se podem "deixar passar ao lado".

O sindicalista reconheceu que a situação "não é consensual por se ter decretado uma greve em situação de pandemia", mas sublinhou que se está a entrar "numa situação de rutura caso não sejam tomadas medidas".

A audiência da Sindepor decorreu no âmbito de uma ronda que o Presidente da República está a realizar sobre o desenvolvimento da pandemia de covid-19 em Portugal, com várias personalidades ligadas ao setor da Saúde e setor social e que já incluíram ex-ministros, ordens profissionais, sindicatos e associações.

Jorge Correia afirmou que alertou Marcelo Rebelo de Sousa para a situação no Serviço Nacional de Saúde, que está a entrar "numa rutura, exaustão e eventual colapso".

O Presidente da República ouviu ao longo da tarde de hoje várias estruturas sindicais dos enfermeiros.

Portugal ultrapassou hoje todos os recordes desde o início da pandemia covid-19 com o registo de 40 mortos, 4.656 infetados nas últimas 24 horas e 1.927 doentes internados, 275 dos quais em cuidados intensivos, segundo a Direção-Geral da Saúde.

De acordo com o boletim epidemiológico da DGS hoje divulgado, Portugal, que regista o número mais elevado de novos casos desde março, início da pandemia, contabiliza 137.272 casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus e 2.468 óbitos.

CMP // HB

Lusa/fim

+ notícias: País

Mais de 70% dos emigrantes querem regressar a Portugal

Mais de 70% dos portugueses residentes no estrangeiro querem regressar a Portugal, a médio ou longo prazo, e 73% já investiram ou consideram como provável investir no seu país, segundo um inquérito da Sedes divulgado hoje.

Temperaturas sobem a partir de 4.ª e podem atingir 40 graus em algumas regiões

As temperaturas vão subir a partir de quarta-feira em Portugal continental, podendo atingir os 40 graus Celsius na quinta-feira em algumas regiões, levando a um aumento significativo do perigo de incêndio rural, Segundo o IPMA.

TAP: "Reconhecemos que não estamos a oferecer serviço de excelência"

Christine Ourmières-Widener, presidente executiva da TAP, reconheceu, esta segunda-feira, que a companhia aérea não "está a oferecer o serviço de excelência" que planeou, face à crise que o transporte aéreo atravessa e que "este fim de semana não foi fácil para a TAP devido a constrangimentos vários".