Info

Covid-19: Entre 30 a 50% de pequenas e médias escolas privadas do Brasil arriscam falir

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Brasília, 02 jun 2020 (Lusa) - Entre 30 a 50% de pequenas e médias escolas privadas do Brasil enfrentam o risco de falir devido à pandemia de covid-19, segundo um estudo divulgado na segunda-feira.

Os dados constam de um levantamento feito pela União pelas Escolas Particulares de Pequeno e Médio Porte, uma organização sem fins lucrativos que lançou um manifesto pela sobrevivência das escolas particulares, um segmento fortemente afetado pela pandemia da covid-19 no país sul-americano.

"Se não houver nenhuma mudança do cenário, estima-se que de 30% a 50% das escolas fecharão suas portas nos próximos meses. Isto acarretará o aumento do desemprego, da evasão escolar e uma sobrecarga ainda maior na rede pública, que não tem condições de absorver essa procura", indicou a organização em comunicado.

De acordo com a União, mesmo com as escolas a "trabalhar incessantemente em busca de soluções tecnológicas para manter a prestação dos seus serviços", o incumprimento de obrigações financeiras e a perda de alunos já atingiram índices exorbitantes, gerando uma perda significativa de receitas.

Em 95% dos estabelecimentos de ensino privado já ocorreu o cancelamento de matrículas.

Os atrasos no pagamento de mensalidades, que antes da pandemia eram de 9%, chegaram a 17% em abril e devem alcançar os 22% em maio, segundo cálculos da União pelas Escolas Particulares de Pequeno e Médio Porte.

Entre 13 e 15 de maio, foram consultados para o estudo proprietários de 482 colégios privados, desde o ensino pré-escolar ao secundário, com capacidade entre 150 e 240 alunos e 20 a 30 professores, localizados em 83 municípios do país, incluindo capitais estaduais, segundo o jornal Folha de S.Paulo.

Entre as ações para auxiliar o setor de ensino privado, a organização sugere a criação de um "voucher educacional", na forma de apoio financeiro temporário por parte dos órgãos públicos para que as famílias possam, durante o período da pandemia e por pelo menos mais um ano, garantir a vaga dos filhos nas escolas, "evitando que as crianças fiquem ociosas em casa ou nas ruas, e que empresas do setor fechem as portas e tenham que demitir funcionários".

A organização apela ainda ao fim da "concorrência predatória" entre instituições de ensino, que concedem "descontos descomunais ou até a isenção de todas as mensalidades"; ao aumento de políticas de crédito para escolas de pequenas dimensões; assim como a redução de carga tributária e o aumento dos prazos para quitação das tributações.

O Brasil registou 623 mortos e 12.247 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, totalizando 29.937 óbitos e 526.447 casos confirmados desde o início da pandemia no país, informou na segunda-feira o executivo.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 373 mil mortos e infetou mais de 6,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Cerca de 2,6 milhões de doentes foram considerados curados.

MYMM // JMC

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Identificadas duas variantes genéticas associadas a formas graves da doença

Investigadores do Instituto de Investigação Biomédica de Bellvitge (IDIBELL) identificaram duas novas variantes do gene TLR7 que podem estar na base de uma maior predisposição a desenvolver covid-19 numa forma mais severa, nomeadamente entre jovens saudáveis.

Covid-19: Aumento das infeções diárias em Itália com mais 5.696 casos

Roma, 28 jul 2021 (Lusa) -- A Itália registou 5.696 casos positivos de coronavírus e 15 mortes nas últimas 24 horas, informou hoje o ministério da Saúde italiano, um número de contágios diários que supera em mais de mil os registados no mesmo dia da semana passada.

Como Daniela Melchior se tornou estrela d'"O Esquadrão Suicida" do cineasta "génio"

Los Angeles, 28 jul 2021 (Lusa) - A atriz portuguesa Daniela Melchior, que interpreta a personagem Ratcatcher 2 na nova megaprodução da Warner Bros., "O Esquadrão Suicida", considera que o realizador James Gunn "é um génio" e espera poder voltar a interpretar a nova supervilã. 

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.