Covid-19: Espanha lança plano de ajuda ao setor do turismo

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Madrid, 02 jun 2020 (Lusa) - O Governo espanhol vai lançar até 15 de junho um Plano de Reativação do Setor do Turismo que prevê avales do Estado até 2.500 milhões de euros, para garantir a liquidez, e 151 milhões em investimentos.

Este plano faz parte do acordo entre o executivo de esquerda e o partido Cidadãos (direita liberal) para que este último apoie, na votação que vai ter lugar esta quarta-feira no parlamento, a prorrogação por mais duas semanas, de 07 até 20 de junho, do estado de emergência em vigor desde 15 de março último.

Num comunicado enviado às redações, o Governo espanhol afirma que vai aprovar "antes de 15 de junho" um plano de ajuda ao turismo e suas atividades associadas, como restauração, hotelaria e outras atividades turísticas.

O plano incluirá, como ponto de partida, várias medidas de promoção do turismo nacional e consistirá em 2.500 milhões de euros em linhas de crédito garantidas pelo Estado para assegurar a liquidez do setor e 151 milhões de euros de investimento na transformação e digitalização do setor, que é um dos motores económicos de Espanha sendo responsável por cerca de 12% do Produto Interno Bruto (PIB).

O plano inclui também o desenvolvimento de protocolos de segurança sanitária adaptados a cada subsector para garantir que o turismo no país seja seguro para os visitantes, trabalhadores e os territórios que os acolhem.

O encerramento das fronteiras decretado em março passado devido à crise provocada pela pandemia de covid-19 levou a que nenhum turista estrangeiro tenha chegado a Espanha em abril.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas (INE) espanhol, as entradas de visitantes internacionais e gastos turísticos foram zero naquele mês.

Os dados deste ano contrastam com os mais de sete milhões de turistas que chegaram a Espanha em abril de 2019 e que gastaram mais de 7.000 milhões de euros.

Espanha foi um dos países mais atingidos pela covid-19, mas desde o início de maio iniciou o desmantelamento das medidas muito duras de luta contra a doença.

O programa de alívio dessas medidas deverá terminar em finais de junho, tendo Madrid já anunciado a abertura das fronteiras ao turismo internacional e o fim da obrigação de cumprir uma quarentena de duas semanas à entrada no país a partir de 01 de julho próximo.

O Ministério da Saúde de Espanha informou na segunda-feira que houve 35 mortes provocadas pela pandemia na última semana e nenhuma nas últimas 24 horas, sendo o total de óbitos de 27.127, o mesmo número de domingo.

Os serviços sanitários espanhóis também revelaram que há 71 novos casos diagnosticados com o novo coronavírus, sendo o total de casos desde o início da pandemia de 239.628.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 373 mil mortos e infetou mais de 6,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), paralisando setores inteiros da economia mundial, num "grande confinamento" que vários países já começaram a aliviar face à diminuição dos novos contágios.

FPB // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Suspeito de ataque em Copenhaga tem antecedentes psiquiátricos

O alegado autor de um tiroteio ocorrido no domingo em Copenhaga, que fez três mortos e quatro feridos graves, tem antecedentes de doença psiquiátrica, indicou hoje a polícia dinamarquesa, afirmando não haver indícios de "um ato terrorista".

Vários mortos em tiroteio na Dinamarca. Suspeito é dinamarquês e tem 22 anos

Várias pessoas morreram num tiroteio no centro comercial Field's, em Copenhaga, capital da Dinamarca, revelou a polícia. Uma pessoa foi detida.

Rússia anuncia controlo total da região ucraniana de Lugansk. Ucrânia desmente. 

O ministro da Defesa russo Serguei Shoigu afirmou hoje que as forças russas controlam toda a região ucraniana de Lugansk, no Donbass, depois de conquistada a cidade-chave de Lisichansk, alvo de combates intensos nos últimos dias.