Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Câmara de Sintra reduz tarifa da água e reforça apoio social e ao Hospital

| País
Porto Canal com Lusa

Sintra, Lisboa, 18 mar 2020 (Lusa) - A Câmara de Sintra vai reduzir o tarifário da água para munícipes e empresas do concelho, reforçar o apoio social às instituições e disponibilizar 1,5 milhões de euros ao Hospital Amadora-Sintra, foi hoje anunciado.

Segundo um despacho do presidente da autarquia, Basílio Horta, com data de 16 de março e que foi hoje tornado público, durante a pandemia de Covid-19, a água será gratuita para os consumidores abrangidos pela "tarifa social" e pelo programa "Sintra Solidária", sendo atribuída uma redução de 35% aos restantes consumidores domésticos.

Os consumidores não domésticos, nomeadamente as empresas, terão uma redução de 20% no tarifário da água.

Segundo o despacho, que produz efeitos imediatos, a autarquia estima que esta medida vá representar uma perda de receita de quatro milhões de euros, que será compensada por via do orçamento municipal.

A Câmara de Sintra irá também reforçar em um milhão de euros a dotação do Fundo de Emergência Social, "com vista ao apoio do pagamento de rendas habitacionais e da aquisição de medicamentos por parte dos munícipes abrangidos".

O valor dos apoios a conceder às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS's) será igualmente reforçado em um milhão de euros, para responder ao aumento de serviços e responsabilidades decorrentes da atual crise.

Além disso, a autarquia irá disponibilizar ao Hospital Amadora-Sintra "uma verba até ao limite de 1,5 milhões de euros, para fazer face às obrigações que o hospital deve cumprir no âmbito do combate à atual crise".

Estas medidas, é referido no despacho, vigoram "durante a atual crise, sem prejuízo das outras medidas atualmente em preparação e destinadas a apoiar as populações no período subsequente à presente situação".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 200 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.200 morreram. Das pessoas infetadas, mais de 82.500 recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se já por 170 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que na terça-feira. O número de mortos no país subiu para dois.

Dos casos confirmados, 553 estão a recuperar em casa e 89 estão internados, 20 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

Das pessoas infetadas em Portugal, três recuperaram.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, reuniu hoje o Conselho de Estado e, depois do parecer favorável do Governo, já propôs à Assembleia da República a declaração do estado de emergência.

Portugal está em estado de alerta desde sexta-feira, e o Governo colocou os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

Entre as medidas para conter a pandemia, o Governo suspendeu as atividades letivas presenciais em todas as escolas desde segunda-feira e impôs restrições em estabelecimentos comerciais e transportes, entre outras.

O Governo também anunciou o controlo de fronteiras terrestres com Espanha, passando a existir nove pontos de passagem e exclusivamente destinados para transporte de mercadorias e trabalhadores que tenham de se deslocar por razões profissionais.

O Governo declarou na quarta-feira o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

 

VAM // MCL

 

Lusa/Fim

+ notícias: País

Infeção pelo vírus 'monkeypox' em Portugal pode ser um surto

Os casos de infeção pelo vírus 'monkeypox', avançados em primeira mão pelo Porto Canal, confirmados em Portugal podem constituir um surto, mas não está "para já" identificada qualquer ligação entre eles para além do local onde foram detetados, disse hoje a infeciologista Margarida Tavares.

EXCLUSIVO.

Vírus 'monkeypox' chega a Portugal. DGS confirma pelo menos cinco casos e 20 suspeitos

O vírus 'monkeypox', a varíola dos macacos, chegou a Portugal e já há pelo cinco casos confirmados. O Porto Canal sabe que os doentes são todos homens e a situação está ser acompanhada pelas autoridades de saúde para se perceber a ligação entre os casos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - Soam as guitarras