Covid-19: Estado de emergência prevê confinamento obrigatório em casa

Covid-19: Estado de emergência prevê confinamento obrigatório em casa
| Política
Porto Canal com Lusa

O estado de emergência proposto pelo Presidente para conter a pandemia ao Covid-19 prevê a possibilidade de confinamento obrigatório compulsivo dos cidadãos em casa e restrições à circulação na via pública, a não ser que sejam justificados.

O projeto de decreto, enviado ao parlamento, foi divulgado hoje no "site" da Presidência da República e prevê que o estado de emergência vigore por 15 dias, como está legalmente previsto.

Para "reduzir o risco de contágio" e fazer a prevenção, "podem ser impostas pelas autoridades públicas competentes as restrições necessárias", incluindo "o confinamento compulsivo no domicílio ou em estabelecimento de saúde, o estabelecimento de cercas sanitárias", assim como "a interdição das deslocações e da permanência na via pública que não sejam justificadas", lê-se no texto.

São consideradas deslocações justificadas, "designadamente, pelo desempenho de actividades profissionais, pela obtenção de cuidados de saúde, pela assistência a terceiros, pelo abastecimento de bens e serviços e por razões ponderosas".

No decreto, estipula-se que caberá ao Governo, "nesta eventualidade, especificar as situações e finalidades em que a liberdade de circulação individual, preferencialmente desacompanhada, se mantém".

+ notícias: Política

Durão Barroso afirma que os governos devem evitar a arrogância do poder

O antigo primeiro-ministro Durão Barroso disse esta quinta-feira que há um “peso excessivo” do poder central em Portugal e alertou para a importância de os governos evitarem a “arrogância do poder”, sublinhando que a sociedade civil devia ser “mais independente”.

Governo extinguiu secretaria de Estado da Agricultura 

O Governo extinguiu a secretaria de Estado da Agricultura. Decreto foi publicado esta sexta-feira em Diário da República. 

Iniciativa Liberal de Lisboa questiona se Jornadas Mundiais da Juventude não é "Jornada Mundial do Esbanjamento"

A Iniciativa Liberal de Lisboa questionou esta sexta-feira se a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) não será a “Jornada Mundial do Esbanjamento”, considerando os valores envolvidos na organização do evento, apesar de não colocar em causa a sua realização.