Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Associação da Guarda sugere jogos tradicionais para quem está em casa

| País
Porto Canal com Lusa

Guarda, 18 mar 2020 (Lusa) - A Associação de Jogos Tradicionais da Guarda (AJTG) está a usar a rede social Facebook para propor a prática de atividades lúdicas antigas a quem está em casa em isolamento social devido ao Covid-19, foi hoje anunciado.

Segundo o presidente da AJTG, Norberto Gonçalves, a iniciativa começou na segunda-feira e consiste na sugestão diária de um jogo tradicional.

"É uma contribuição para que as pessoas, já que estão em casa e têm tempo, possam interagir entre si, como os pais e os filhos, os avós e os netos, que é uma coisa que, numa situação normal, não se verifica", disse o responsável à agência Lusa.

Com a sugestão para a prática de jogos tradicionais, a AJTG pretende "ajudar as pessoas a passarem o seu tempo em casa" de uma forma "diferente e divertida".

"No fundo, é o retorno às origens, aos serões, em que se brincava, contavam-se histórias, lengalengas e trava-línguas e se jogavam alguns jogos da época", acrescentou.

Norberto Gonçalves admite que a iniciativa também pode ser uma forma de reativar os jogos tradicionais, uma vez que os mais novos são incentivados a praticar "os jogos dos [tempos dos] avós e dos pais".

A AJTG tenciona sugerir diariamente a prática de um jogo, através do Facebook, por considerar que os jogos tradicionais "são boas alternativas para rentabilizar o tempo disponível", pois "permitem educar, enriquecem as interações familiares, promovem o desenvolvimento motor, psíquico e emocional".

Hoje, a coletividade que tem por lema "Continuamos a Jogar a Tradição" está a sugerir trava-línguas, que outrora "também se destinavam à aprendizagem".

"Quando os meninos começavam a falar, dizia-se que era a forma de os ajudar a 'desentaramelar' a língua, pois eram 'galholhos' e diziam as palavras umas em cima das outras. Os trava-línguas eram uma forma de os treinar a dizer bem", lembra Norberto Gonçalves.

São exemplos de trava-línguas: "Fia, fio a fio, fino fio, frio a frio", "O tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu ao tempo, que o tempo tem tanto tempo, quanto tempo o tempo tem" e "A aranha arranha a rã. A rã arranha a aranha. Nem a aranha arranha a rã. Nem a rã arranha a aranha".

Segundo Norberto Gonçalves, a associação procura sugerir jogos tradicionais "que podem ser feitos em casa e, muitas vezes, sem exigirem material".

A coletividade já propôs o jogo "O Três em Linha" e, nos próximos dias, os interessados podem ser incentivados a praticarem "A sardinha" (que só exige mãos), o "Anel" (com a utilização de um anel) ou o "Rapa" (com recurso a feijões ou rebuçados), entre outros.

A AJTG, fundada em 28 de agosto de 1979, na cidade da Guarda, tem por objetivo a recolha, sistematização e incentivo à prática de jogos tradicionais.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 200 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.200 morreram.

O surto começou na China, em dezembro de 2019, e espalhou-se já por 170 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou na quarta-feira o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que na terça-feira.

O número de mortos no país subiu para dois.

ASR // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Infeção pelo vírus 'monkeypox' em Portugal pode ser um surto

Os casos de infeção pelo vírus 'monkeypox', avançados em primeira mão pelo Porto Canal, confirmados em Portugal podem constituir um surto, mas não está "para já" identificada qualquer ligação entre eles para além do local onde foram detetados, disse hoje a infeciologista Margarida Tavares.

EXCLUSIVO.

Vírus 'monkeypox' chega a Portugal. DGS confirma pelo menos cinco casos e 20 suspeitos

O vírus 'monkeypox', a varíola dos macacos, chegou a Portugal e já há pelo cinco casos confirmados. O Porto Canal sabe que os doentes são todos homens e a situação está ser acompanhada pelas autoridades de saúde para se perceber a ligação entre os casos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - Soam as guitarras