Covid-19: Associação da Guarda sugere jogos tradicionais para quem está em casa

| País
Porto Canal com Lusa

Guarda, 18 mar 2020 (Lusa) - A Associação de Jogos Tradicionais da Guarda (AJTG) está a usar a rede social Facebook para propor a prática de atividades lúdicas antigas a quem está em casa em isolamento social devido ao Covid-19, foi hoje anunciado.

Segundo o presidente da AJTG, Norberto Gonçalves, a iniciativa começou na segunda-feira e consiste na sugestão diária de um jogo tradicional.

"É uma contribuição para que as pessoas, já que estão em casa e têm tempo, possam interagir entre si, como os pais e os filhos, os avós e os netos, que é uma coisa que, numa situação normal, não se verifica", disse o responsável à agência Lusa.

Com a sugestão para a prática de jogos tradicionais, a AJTG pretende "ajudar as pessoas a passarem o seu tempo em casa" de uma forma "diferente e divertida".

"No fundo, é o retorno às origens, aos serões, em que se brincava, contavam-se histórias, lengalengas e trava-línguas e se jogavam alguns jogos da época", acrescentou.

Norberto Gonçalves admite que a iniciativa também pode ser uma forma de reativar os jogos tradicionais, uma vez que os mais novos são incentivados a praticar "os jogos dos [tempos dos] avós e dos pais".

A AJTG tenciona sugerir diariamente a prática de um jogo, através do Facebook, por considerar que os jogos tradicionais "são boas alternativas para rentabilizar o tempo disponível", pois "permitem educar, enriquecem as interações familiares, promovem o desenvolvimento motor, psíquico e emocional".

Hoje, a coletividade que tem por lema "Continuamos a Jogar a Tradição" está a sugerir trava-línguas, que outrora "também se destinavam à aprendizagem".

"Quando os meninos começavam a falar, dizia-se que era a forma de os ajudar a 'desentaramelar' a língua, pois eram 'galholhos' e diziam as palavras umas em cima das outras. Os trava-línguas eram uma forma de os treinar a dizer bem", lembra Norberto Gonçalves.

São exemplos de trava-línguas: "Fia, fio a fio, fino fio, frio a frio", "O tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu ao tempo, que o tempo tem tanto tempo, quanto tempo o tempo tem" e "A aranha arranha a rã. A rã arranha a aranha. Nem a aranha arranha a rã. Nem a rã arranha a aranha".

Segundo Norberto Gonçalves, a associação procura sugerir jogos tradicionais "que podem ser feitos em casa e, muitas vezes, sem exigirem material".

A coletividade já propôs o jogo "O Três em Linha" e, nos próximos dias, os interessados podem ser incentivados a praticarem "A sardinha" (que só exige mãos), o "Anel" (com a utilização de um anel) ou o "Rapa" (com recurso a feijões ou rebuçados), entre outros.

A AJTG, fundada em 28 de agosto de 1979, na cidade da Guarda, tem por objetivo a recolha, sistematização e incentivo à prática de jogos tradicionais.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 200 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.200 morreram.

O surto começou na China, em dezembro de 2019, e espalhou-se já por 170 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou na quarta-feira o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que na terça-feira.

O número de mortos no país subiu para dois.

ASR // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Sismo. Portugal envia “nas próximas horas” equipa de 53 operacionais para ajudar nas operações de busca e salvamento

O ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, afirmou esta terça-feira que Portugal vai enviar, "nas próximas horas", uma equipa composta por 53 operacionais para ajudar nas operações de busca e salvamento, após o sismo que abalou a Turquia e a Síria. 

Ordem dos Médicos. Arranca segunda volta das eleições entre Carlos Cortes e Rui Nunes

Cerca de 60 mil clínicos começam, esta terça-feira, a votar para eleger o bastonário da Ordem dos Médicos na segunda volta de uma eleição disputada por Carlos Cortes e Rui Nunes que decorre até 16 de fevereiro.

“Viajar sem pressa”. Mais de 16 mil condutores em excesso de velocidade durante campanha de segurança

Mais de 16 mil condutores foram apanhados por radares em excesso de velocidade durante a campanha de segurança rodoviária “Viajar sem pressa”, que decorreu entre 31 de janeiro e 06 de fevereiro, revelou esta terça-feira a GNR.