Descida do desemprego no 3.º trimestre "surpreende agradavelmente" - CIP

| Economia
Porto Canal / Agências

Redação, 07 nov (Lusa) - O presidente da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) afirmou hoje que a descida da taxa de desemprego para 15,6% no terceiro trimestre "surpreende agradavelmente" e vem "provar que os ténues sinais de retoma começam a ter efeitos".

"É uma notícia positiva e que nos surpreende agradavelmente, porque estes ténues sinais de recuperação económica não fariam prever que o efeito no emprego fosse tão imediato", disse António Saraiva em declarações à agência Lusa.

"Estes sinais de descida só têm que nos animar e vêm provar que os ténues sinais de retoma começam a ter efeitos e, como sempre dissemos, o desemprego só se combate eficazmente com o crescimento económico", acrescentou.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou hoje que a taxa de desemprego em Portugal foi de 15,6% no terceiro trimestre, 0,8 pontos percentuais abaixo do trimestre anterior e menos 0,2 pontos que no mesmo período de 2012.

Segundo os resultados do Inquérito ao Emprego do INE, entre julho e setembro, a população desempregada foi de 838,6 mil pessoas, o que representa uma diminuição homóloga de 3,7% e uma diminuição trimestral de 5,3% (menos 32,3 mil e menos 47,4 mil pessoas, respetivamente).

Defendendo a importância da redução de uma taxa "que chegou a atingir 17,7% no primeiro trimestre", o líder da CIP destacou a redução também registada no desemprego jovem, que "já atingiu 39% [e] está, hoje, nos 36%".

Para António Saraiva, importa agora "consolidar": "Estes números têm que ganhar alguma sustentabilidade. Só temos que nos congratular e esperar que esta descida se mantenha e que a economia permita que estes números se consolidem, [particularmente] nestas duas grandes áreas do desemprego em geral e do desemprego jovem em particular", disse.

"Inverter a tendência de decréscimo e de recessão é um bom sinal e começa a ter, como constatamos, reflexos no emprego, o que é obviamente um bom sinal", concluiu.

PD (ICO/VC) // MSF

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Juro médio dos novos créditos à habitação registam maior subida mensal desde 2003

A taxa de juro média dos novos empréstimos à habitação aumentou para 2,86% em outubro, contra 2,23% em setembro, o valor mais alto desde janeiro de 2015 e a maior subida mensal em 19 anos, divulgou hoje o BdP.

Limite de 60 dólares por barril de petróleo russo. Proposta aprovada pela UE

Os países da União Europeia (UE) concordaram com um limite de preço de 60 dólares por barril para o petróleo russo, no âmbito das sanções para evitar picos de preços de combustíveis e para prejudicar os interesses de Moscovo.

Queda dos preços dos combustíveis levam a redução do desconto no ISP em dezembro

O Ministério das Finanças anunciou esta sexta-feira que em dezembro há uma redução do desconto do ISP em 3,9 cêntimos por litro de gasóleo e em 2,4 cêntimos por litro de gasolina, tendo em conta a queda dos preços.