CGTP desvaloriza descida do desemprego por ser sazonal e resultado da emigração

| Economia
Porto Canal / Agências

Lisboa, 7 nov (Lusa) - O líder da CGTP Arménio Carlos desvalorizou hoje a descida do desemprego no terceiro trimestre, salientando que esta quebra acontece por razões de sazonalidade e devido ao aumento de portugueses que vão trabalhar para o estrangeiro.

"Em primeiro lugar, estamos a falar de um trimestre marcado pela sazonalidade. Em segundo lugar estamos a falar de emprego e desemprego, e não podemos esquecer o fluxo significativo de emigração que tem ocorrido nos últimos meses", afirmou o líder da central sindical, à margem do plenário de trabalhadores da Carris, na qual participou como funcionário da empresa.

Arménio Carlos destacou que há "milhares de pessoas" a sair de Portugal à procura de trabalho, porque não conseguem empregar-se no seu país, e que essa emigração é refletida numa baixa da taxa de desemprego.

"Isso não quer dizer que as coisas estejam melhores, porque se estivessem melhores não era o próprio Governo, na apresentação do Orçamento do Estado para 2014, a apresentar uma visão de aumento do desemprego", acrescentou.

O sindicalista destacou ainda que as políticas seguidas pelo Governo "não parecem" poder conduzir a uma melhoria no país, nomeadamente da taxa de desemprego.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego em Portugal foi de 15,6% no terceiro trimestre deste ano, 0,8 pontos percentuais abaixo do trimestre anterior e menos 0,2 pontos do que no mesmo período de 2012.

As mais recentes previsões do Governo, incluídas na proposta de Orçamento do Estado para 2014, apontam para que a taxa de desemprego atinja os 17,4% em 2013 e 17,7% no próximo ano.

JRS/VP (VC/ICO)// MSF

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Juro médio dos novos créditos à habitação registam maior subida mensal desde 2003

A taxa de juro média dos novos empréstimos à habitação aumentou para 2,86% em outubro, contra 2,23% em setembro, o valor mais alto desde janeiro de 2015 e a maior subida mensal em 19 anos, divulgou hoje o BdP.

Limite de 60 dólares por barril de petróleo russo. Proposta aprovada pela UE

Os países da União Europeia (UE) concordaram com um limite de preço de 60 dólares por barril para o petróleo russo, no âmbito das sanções para evitar picos de preços de combustíveis e para prejudicar os interesses de Moscovo.

Queda dos preços dos combustíveis levam a redução do desconto no ISP em dezembro

O Ministério das Finanças anunciou esta sexta-feira que em dezembro há uma redução do desconto do ISP em 3,9 cêntimos por litro de gasóleo e em 2,4 cêntimos por litro de gasolina, tendo em conta a queda dos preços.