Info

Relação de Lisboa rejeita pedido do Ministério Público, Sócrates pode ter acesso aos autos

Relação de Lisboa rejeita pedido do Ministério Público, Sócrates pode ter acesso aos autos
| País
Porto Canal

O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) indeferiu hoje o requerimento do Ministério Público (MP) que pedia a nulidade do acórdão que permitia à defesa de José Sócrates ter acesso aos autos da investigação.

A informação foi avançada à agência Lusa pelo porta-voz dos advogados de defesa do ex-primeiro-ministro socialista José Sócrates.

"Há 22 dias que a defesa [de José Sócrates] continua sem acesso aos autos da investigação", disse o porta-voz dos advogados de defesa do ex-primeiro-ministro, acrescentando que os advogados João Araújo e Pedro Delille estão agora a estudar o acórdão de hoje.

A 24 de setembro, a Relação de Lisboa tinha decidido que não se justificava a continuação do segredo (interno) de justiça na "Operação Marquês", pelo que a defesa de José Sócrates deveria ter acesso a todos os autos da investigação.

Mais tarde, a 05 de outubro, o Ministério Público suscitou a nulidade do acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa, um pedido hoje indeferido.

+ notícias: País

Covid-19: Cem toneladas de equipamentos de proteção chegam na terça-feira

Um carregamento de cem toneladas de equipamento de proteção individual para o Serviço Nacional de Saúde contra a pandemia de covid-19 chega a Portugal na próxima terça-feira, disse hoje a responsável do Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

Covid-19: Pandemia deixa milhares de crianças por vacinar

A Covid-19 tem afastado os pais dos centros da saúde e tem levado a que os filhos num cumpram com o Plano Nacional de Vacinação. A Direção Geral da Saúde alerta para a importância das vacinas até, pelo menos, aos 12 meses.

Covid-19: Portugal com 100 mortes e mais de 5.100 infetados

Portugal regista, este sábado, 100 mortes associadas à covid-19, mais 24 do que na sexta-feira, enquanto o número de infetados subiu 902, para 5.170, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.