Info

PS tem melhor resultado de sempre e PSD com "um dos piores"

| Política
Porto Canal

INFOGRAFIA

Infografia

A CDU conseguiu já 30 presidências de câmara, mais duas do que as 28 de 2009, o CDS-PP passa de uma para cinco e o BE perde a sua única câmara.

A divulgação dos resultados das eleições autárquicas de domingo foi suspensa de madrugada devido à falta de comunicação com juntas de freguesia e câmaras municipais e os trabalhos de recolha de informação serão retomados às 10:00.

As eleições de domingo registaram, segundo os dados provisórios, uma taxa de abstenção de 47,36%, a mais alta de sempre em autárquicas, confirmando uma tendência crescente desde o escrutínio de 1982. Até agora a taxa mais alta de sempre registou-se em 2009, com 41%.

Com estes resultados, o PS -- que conseguiu sozinho 136 câmaras e mais uma em coligação, na Madeira - já superou o melhor resultado de sempre em número de câmaras, o de 2009, quando conquistou 132 presidências de municípios.

Pelo contrário, o PSD poderá obter o seu pior resultado de sempre, em termos globais de presidências de câmara obtidas sozinho e coligado, ficando abaixo das 114 conseguidas em 1989.

Até ao momento, os grupos de cidadãos conseguiram 11 presidências de câmara, com destaque para o independente Rui Moreira, que, apoiado pelo CDS-PP, conquistou o município do Porto, derrotando o socialista Manuel Pizarro e o social-democrata Luís Filipe Menezes, que depois de deixar Gaia por limite de mandatos apenas conseguiu o terceiro lugar na segunda maior cidade do país.

Em Lisboa, o atual presidente, o socialista António Costa, conquistou um novo mandato, desta vez com uma maioria absoluta histórica.

Entre as principais câmaras que mudam de mãos, destaque para: Évora, Beja e Loures, que passam do PS para a CDU; Braga, socialista desde o 25 de Abril, e que agora foi conquistada por uma coligação que inclui PSD e CDS; a Madeira, onde o PSD perdeu sete das 11 câmaras; Coimbra, que pertencia ao PSD/CDS e foi reconquistada pelo socialista Manuel Machado; Guarda, que passou do PS para o PSD; Vila Real e Covilhã, do PSD para o PS.

Na reação aos resultados, o presidente do PSD e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, assumiu o resultado de domingo como "um dos piores de sempre", ao nível dos alcançados "durante períodos de governação mais exigente", nos anos 80 e 90, tempos de Cavaco Silva como primeiro-ministro.

O secretário-geral do PS, António José Seguro, reclamou a maior vitória de sempre em autárquicas e disse que Passos Coelho deveria perceber a penalização que foi dada ao Governo nestas eleições.

Jerónimo de Sousa festejou o reforço da CDU como terceira força autárquica primeiro no Centro Vitória, em Lisboa, deslocando-se ainda durante a noite eleitoral a Évora e Loures, duas importantes conquistas ao PS.

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, outro dos vencedores da noite, sublinhou que os democratas-cristãos voltaram a ser "um partido relevante nas autarquias", com o qual terão de contar na Associação Nacional de Municípios.

João Semedo, coordenador do BE, partido que deixou de presidir a qualquer município, deu por encerrada a noite eleitoral sem saber que não tinha sido eleito vereador por Lisboa, preferindo destacar a "monumental derrota" da direita.

+ notícias: Política

Cerca de 40% dos deputados do PSD eleitos em 2019 vão ficar fora do parlamento

Dos 79 deputados eleitos pelo PSD em 2019, 28 estão fora das listas de candidatos a deputados para as legislativas, a que se somam outros quatro indicados em lugar inelegível, o que corresponde a 40% do total.

Primeiro-ministro destaca importância de parcerias entre empresas e universidades

O primeiro-ministro, António Costa, destacou hoje a importância das parcerias entre as universidades e as empresas para "transformar conhecimento em valor" e, desse modo, "gerar mais e melhor emprego, mais bem remunerado".

José Luís Carneiro prevê "ajustes de contas" de Rui Rio 

José Luís Carneiro, Secretário-geral adjunto do PS, disse, em declarações ao Porto Canal, numa reunião com os autarcas de Braga, que prevê "ajustes de contas de Rui Rio" e, acrescentou ainda que "o PSD tem um trabalho de casa a fazer para se tornar num partido que tenha outra credibilidade para assumir funções executivas". 

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.