PS é o partido mais votado e com mais câmaras

| Política
Porto Canal / Agências

Lisboa, 30 set (Lusa) - O PS é o partido com mais presidentes de Câmara eleitos nas autárquicas de domingo, 148, quando ainda falta apurar um concelho, Caminha (Viana do Castelo), segundo os dados da Direcção Geral de Administração Interna (DGAI) às 19:00.

O PS conseguiu 148 câmaras sozinho e uma no Funchal (em coligação), reclamando também a câmara de Caminha, que ainda falta atribuir devido a atrasos no apuramento.

A confirmar-se, o PS ficará, assim, com 150 câmaras.

O PSD, sozinho ou em coligação, conseguiu 106 câmaras: 86 em listas próprias e outras 20 em coligações (16 com o CDS-PP, duas com CDS-PP e o PPM, uma com o PPM e uma com CDS-PP, PPM e MPT).

A CDU, com um total de 34 câmaras, reconquistou alguns municípios, como Loures, Évora, Beja, Grândola e Cuba.

O CDS conseguiu vencer cinco câmaras.

O BE perdeu o único concelho que governava, Salvaterra de Magos.

Os independentes conseguiram a presidência de 13 municípios.

A abstenção foi a mais alta de sempre em autárquicas, situando-se nso 47,4%.

Fontes:

Lusa

DGAI - Direção-Geral de Administração Interna do Ministério da Administração Interna

Resultados comparados para o país às 18:48 das eleições Autárquicas 2013

Fontes:

Lusa

DGAI - Direção-Geral de Administração Interna do Ministério da Administração Interna

NS // SMA

Lusa/fim

+ notícias: Política

Chumbadas propostas para compensar e fixar professores

O parlamento rejeitou esta sexta-feira projetos de lei do PCP, do PAN e do BE em defesa de medidas para compensar os professores deslocados e tornar a profissão mais atrativa, face à carência de docentes nas escolas.

PSD: Montenegro eleito novo presidente com 73% dos votos

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido.

Cavaco acusa Costa e Governo de "imobilismo" que impede reformas

O antigo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, defendeu esta sexta-feira que o primeiro-ministro António Costa e o Governo devem sair "da situação de imobilismo" para realizarem as reformas decisivas e colocar a economia portuguesa numa trajetória de crescimento sustentável.